TwitterFacebookGoogle+

Plenária do MLB aprova jornada de luta

Nos dias 23 e 24 de setembro, realizou-se a 1ª Plenária Nacional do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), em Natal (RN). O evento contou com a participação de 200 delegados dos Estados do Pará, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul, e serviu para aprofundar o debate sobre a atuação e as novas tarefas do MLB no trabalho de bairros em nosso país.

Participaram da abertura membros da Unidade Popular (UP), UJR, Movimento de Mulheres Olga Benario e Sindicato dos Bancários, além da vereadora Natália Bonavides (PT) e do vereador Carlson Gomes (PDT) e de representações da Caixa Econômica, Governo do Estado e Prefeitura de Natal.

As lutas pela reforma urbana e pelo Socialismo nortearam as palavras de ordem entoadas com muita energia durante a plenária. Ficou claro para todos que, se o povo não se organizar para lutar, se ficar refém do que prometem os governos, não conquistará o direito humano de morar dignamente. “Num país em que o que importa é salvar os ricos da crise, milhões de trabalhadores sofrem com o desemprego e com a falta de moradia. Não há outra saída: temos que nos unir e lutar pelos nossos direitos para transformar essa sociedade”, disse Wellington Bernardo, coordenador nacional do MLB.

Construindo a Unidade Popular

O primeiro dia foi dedicado à discussão da conjuntura e das tarefas do movimento. Leonardo Péricles, presidente nacional da UP, Samara Martins, do Movimento Olga Benario, e Alex Feitosa, do MLC, foram os debatedores. Dezenas de companheiros e companheiras se inscreveram para dar sua opinião e defender a necessidade de o MLB fortalecer ainda mais a construção da UP. “Para acabar com a crise econômica e com o poder dos banqueiros é preciso unir todos os trabalhadores e movimentos numa grande unidade popular pela mudança do país. Por isso, a UP é fundamental e todos nós temos que garantir sua legalização”, defendeu Leonardo.

“Temer e sua quadrilha já rasgaram a CLT e agora querem acabar com o direito do povo pobre de se aposentar. O que vemos é que a classe trabalhadora não se sente mais representada por nenhum desses partidos e espera algo novo, diferente. Por isso, legalizar a UP é tão importante também para nós, moradores das ocupações”, afirmou Leuda Nascimento, de Fortaleza.

Mas a construção da UP não ficou só na teoria. Enquanto acontecia o debate na plenária, uma equipe de militantes do MLB de vários estados estava no centro de Natal coletando assinaturas para a legalização da UP e recolheu mais de 400 apoiamentos.

Novos desafios

No domingo, os participantes da plenária se dividiram em grupos para discutir a organização do MLB e sua construção material, o trabalho do movimento entre as mulheres e a juventude, além das experiências em educação popular e comunicação. Após os debates, foram elaboradas propostas e um plano de lutas do movimento.

Chamou atenção a grande participação e politização dos participantes nos debates, resultado do esforço feito desde o último congresso do MLB, em 2014, para avançar na formação política da base do movimento.

A realização da 1ª Plenária Nacional do MLB foi uma grande vitória e provou a disposição de luta e sacrifício de todas as famílias nele organizadas. “Reafirmamos nosso compromisso com a luta pela reforma urbana e pelo Socialismo e renovamos nossas energias para as grandes batalhas que se aproximam. Cada companheiro e companheira aqui presente tem a responsabilidade de levar nossa palavra a cada família sem-teto deste país a fim de fazer um grande movimento em defesa do direito humano de morar dignamente”, disse Wellington no encerramento.

Da Redação

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
57

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações