TwitterFacebookGoogle+

SINDLIMP e MLC organizam luta em Santa Cruz do Capibaribe

A exploração desenfreada que os patrões vem fazendo aos trabalhadores(as), independente da cidade, levou o SINDLIMP – Caruaru e Região, com o apoio da UJR, o MLC e a Unidade Popular(UP) a estarem presentes durante dois dias no município de Santa Cruz do Capibaribe. Este município fica a 193 Km da capital pernambucana, na região do agreste, mas a exploração nos pequenos centros urbanos, os chamados interiores, é muito semelhante com a exploração das grandes cidades como Recife,

A visita surgiu a partir das denúncias de que a empresa Vialin Engenharia LTDA não estava cumprindo com suas obrigações trabalhistas em relação aos trabalhadores desta cidade, a exemplo de: 1) Salários atrasados; 2) Cerca de 1 ano sem receberem cestas básicas; 3) Cerca de 2 anos sem receberem as férias e 4) As trabalhadoras, sequer tinham banheiros próprios. Assim após apuração da denúncia pelo SINDLIMP e o MLC na cidade, foi averiguada a veracidade das denúncias e imediatamente convocada uma assembleia geral na porta da empresa, onde foi aprovado e decretado greve, em seguida os trabalhadores(as) saíram pelas ruas da cidade até a secretaria de urbanismo, que é a responsável pela Limpeza urbana da cidade.

Chegando lá, foi encontrado uma secretaria abandonada, onde foi informado que o secretario, só chegava após as 10h da manhã. Assim os trabalhadores(as) seguiram com muita combatividade e palavras de ordem como “Exigimos nossos salários” e “Abaixo a exploração”, até a sede da prefeitura municipal, onde os trabalhadores(as) ocuparam e só saíram de lá com a garantia de uma reunião no dia seguinte. Os trabalhadores(as) aprovaram também que não iriam trabalhar mais naquele dia, pois chega de exploração.

Fruto da mobilização os salários foram pagos neste mesmo dia. No dia seguinte, aconteceu a reunião com a empresa Vialin , o MLC e o SINDLIMP, onde foram aprovados: 1)Criação da CIPA e imediata eleição; 2) Apresentação do plano de regularização para os trabalhadores com cestas básicas em atraso no prazo de 30 dias; 3) Regularização do pagamento das férias; 4) Reforma e sinalização dos banheiros femininos e masculinos em 30 dias; 5) Horas do dia de Greve serão pagos  e sem punições /perseguições; 6) Pagamento de salários em dia e 7) Fazer pesquisa e substituição da cesta básica (R$ 70,00) por Ticket (R$ 100,00), a partir de levantamento nos estabelecimentos credenciados e aprovação dos trabalhadores(as). O SINDLIMP e trabalhadores(as) deram um prazo até a primeira quinzena de janeiro de 2018 para que a empresa Vialin, que já foi notificada pelo ministério do trabalho regularize e cumpra com as normas trabalhistas e passe a respeitar os direitos dos trabalhadores.

Ainda foram feitas várias intervenções no dia de luta é coletadas 77 Assinaturas da Unidade Popular(UP) e uma grande brigada do Jornal A Verdade. Os trabalhadores saíram mais uma vez com a lição de que a união em torno de um sindicato classista é capaz de barrar o impulso egoísta dos patrões que só visam ao lucro, para o SINDLIMP ficou a lição de que o trabalho diário, junto a base é fundamental para desenvolver as lutas e conquistar o apoio e confiança dos trabalhadores e trabalhadoras.

Redação Caruaru.

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
80

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações