TwitterFacebookGoogle+

Cinco bilionários possuem mais riqueza que metade da população brasileira

Cinco bilionários brasileiros concentram uma riqueza equivalente à metade mais pobre da população do país. É o que afirma o relatório “Recompensem o trabalho, não a riqueza”, da ONG britânica Oxfam, divulgado no último dia 22 de janeiro.

A lista de megarricos é liderada por Jorge Paulo Lemann, do fundo 3G Capital, seguido por Joseph Safra, do Banco Safra, Marcel Herrmann Telles e Carlos Alberto Sicupira, também do 3G Capital, e Eduardo Saverin, do Facebook.

Segundo a Oxfam, a riqueza somada dos bilionários brasileiros chegou a R$ 549 bilhões no ano passado, um crescimento de 13% em relação a 2016. No mesmo período, os 50% mais pobres da nossa população, ao contrário, tiveram sua participação na renda nacional reduzida de 2,7% para 2%.

Essa tendência à concentração da riqueza nas mãos de um punhado de pessoas ocorre em todo o mundo e vem se aprofundando nos últimos anos devido à crise econômica do capitalismo. De toda a riqueza produzida no planeta em 2017, 82% ficou nas mãos de apenas 1% da população, enquanto a metade mais pobre (3,7 bilhões de pessoas) não ficou com absolutamente nada.

Esse é o capitalismo: enquanto imensas riquezas, luxo e esbanjamento se concentram no polo mais rico da sociedade, os verdadeiros produtores de todas essas riquezas, os trabalhadores, sofrem cada vez mais com a exploração, o desemprego e a diminuição do seu nível de vida.

52 milhões abaixo da linha de pobreza

Exemplo dessa lei econômica do capitalismo é o aumento do número de miseráveis no Brasil nos últimos anos. De acordo com a Síntese de Indicadores Sociais 2017, do IBGE, 25% da população brasileira (52 milhões de pessoas), vive abaixo da linha da pobreza, ou seja, com menos de 5,50 dólares por dia ou R$ 387,07 por mês.

Desses, mais de 13 milhões (6,5% da população) estão em situação de extrema pobreza, sobrevivendo com até R$ 133,72 por mês. Em 2015, o percentual de extremamente pobres no Brasil era de 4,34%, ou 8,939 milhões de pessoas.

Essa pobreza está concentrada principalmente no Norte (43,1%) e no Nordeste (43,5%), onde mais de sete milhões de brasileiros vivem na mais absoluta miséria.

De onde vem tanta pobreza?

Toda essa pobreza vem do fato de que, no capitalismo, os trabalhadores não são donos das fábricas, máquinas, instrumentos, matérias-primas, terras etc., e transformam-se, assim, em escravos dos capitalistas proprietários desses meios de produção. Dessa forma, o trabalhador tem que se submeter à exploração de um patrão para sobreviver.

Entretanto, como nem todos conseguem emprego, muitos são jogados na mais absoluta miséria. O desemprego é um verdadeiro martírio para qualquer trabalhador, pois sua força de trabalho é seu único meio de vida.

Logo, para acabar de uma vez por todas com a pobreza, o desemprego e os baixos salários é preciso que os trabalhadores se organizem e lutem unidos contra a dominação do grande capital e pela construção de uma nova sociedade, onde não haja ricos nem pobres e todos tenham que trabalhar. Essa nova sociedade chama-se socialismo e somente ela é capaz de pôr fim a tantas injustiças e sofrimentos para o povo trabalhador.

Heron Barroso, Rio de Janeiro

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
70

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações