TwitterFacebookGoogle+

Alagoas e Rio Grande do Norte legalizam a Unidade Popular

No dia 19 de fevereiro, com muita determinação, a militância da UP no Rio Grande do Norte conseguiu atingir a quantidade mínima de apoiamentos à legalização da Unidade Popular (UP), exigida pelo TSE. Nesse período, conversamos com milhares de pessoas nas ruas de Natal, denunciando os ataques aos direitos do povo feitos pelo governo de Michel Temer. Mais uma vitória que se soma à legalização da UP em todo o país.

“A dedicação militante sem o financiamento das grandes empresas e bancos, definem o caráter de classe desse partido que será legalizado em 2018. Precisamos de mais ousadia e determinação para alcançar as metas que ainda nos faltam. Essa etapa alcançada serve de incentivo e fôlego para a continuação da campanha”, afirma Samara Martins, militante da UJR e do Movimento de Mulheres Olga Benario.

Os números comprovam que é possível alcançar as metas em todos os estados para conseguirmos apresentar a Unidade Popular como alternativa política. Devemos ter mais ousadia nesta reta final para concretizarmos todo o discurso que vem sendo construído junto ao povo. Para Renata Karla, militante do MLB que se destaca nas coletas de assinatura no estado, “não há nada mais gratificante que ser parabenizada nas ruas pelas pessoas que param para escutar o que defendemos e assinam nossas fichas de apoio. Esse contato com o povo é o que me faz saber que estamos no caminho certo, que legalizar a UP é uma necessidade para nossa gente, e um passo largo para a revolução no Brasil”.

Alagoas: outra vitória da UP

Também no Estado de Alagoas, em fevereiro, a UP conquistou o número mínimo de apoiamentos.

Em Alagoas, os militantes da UP comemoram o número de 1.733 assinaturas aptas no Sistema de Apoiamento a Partido em Formação (SAPF) do TSE, e ainda aguardam a análise nos cartórios eleitorais de mais 4.000, que podem ser deferidas a qualquer momento.

“Conquistamos o número mínimo de assinaturas em Alagoas e isso é uma importante marca para a terra de Zumbi, Dandara e Manoel Lisboa. Esperamos contribuir muito mais para a legalização da UP e, por isso, continuamos com as coletas diárias, o cadastramento no sistema do TSE e a entrega nos cartórios”, afirmou Magno Francisco, dirigente da Unidade Popular em Alagoas.

De acordo com a legislação, para o partido conquistar seu registro legal é necessário conquistar 0,1% de apoiamentos entre os eleitores de nove estados e 0,5% do total de eleitores no país. Até o fim de fevereiro, Pernambuco, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Alagoas já ultrapassaram o número mínimo exigido. Além disso, em todo o país já foram coletadas aproximadamente 600 mil assinaturas.

“A nossa expectativa é chegar a 800 mil assinaturas até maio. Estamos na reta final e é preciso nossa dedicação máxima”, disse Lenilda Luna, representante da UP de Alagoas.

De acordo com o presidente nacional da Unidade Popular, Leonardo Péricles, a adesão das pessoas às ideias da UP tem ocorrido devido ao chamado que o novo partido tem feito para uma luta decidida contra o capitalismo e a exploração, bandeira abandonada por outros partidos de esquerda.

Todos e todas podem e devem contribuir para a legalização da UP. É preciso ter força, fé e coragem para chegarmos ao fim dessa campanha vitoriosos; o desafio é grande, mas só a luta do povo pode mudar a realidade injusta que vivemos. Rumo a legalização da Unidade Popular!

Redação RN e Alagoas

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
3

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações