TwitterFacebookGoogle+

OIT pede revisão da reforma trabalhista

A OIT(Organização Internacional do Trabalho) pediu que o governo brasileiro revisasse pontos da Reforma Trabalhista, em especial aquele que coloca a negociação acima do legislado. A recomendação foi apresentada pelo Comitê de Peritos da OIT, em relatório publicado dia 07/02, que analisa alguns questionamentos apresentados pela CUT e a Confederação Europeia (ITUC).

Os questionamentos da OIT são feitos em relação aos artigos 611-A e 611-B, inseridos na Lei n.º 13.467 para reformar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Os dois trechos que tratam da negociação acima da legislação são considerados contrários a Convenção do Direito de Organização e Convenção de Negociação Coletiva nº 98, ratificada em 1952 pelo Brasil.

Em seu relatório a OIT considera o seguinte: “O Comitê observa com preocupação que a nova seção 611-A da CLT estabelece como Princípio geral de que acordos coletivos prevalecem sobre a legislação e, portanto, é possível, por meio de negociação coletiva não dar efeito às disposições protetivas da legislação, com o único limite de direitos constitucionais referidos na seção 611-B da CLT.”

O Ministério Público do Trabalho (MPT) considerou em nota que a possibilidade genérica do negociado sobre o legislado viola gravemente as convenções internacionais e destacou ainda que o parecer da OIT pede a revisão de que contratos individuais não possam conceder condições menos favoráveis que as previstas em lei.

Wanderson Pinheiro, São Paulo

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
11

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações