TwitterFacebookGoogle+

Comunistas albaneses relembram os heróis da Guerra de Libertação Nacional

O Partido Comunista da Albânia ainda se recupera dos golpes sofridos pelo imperialismo e, dessa vez, relembrou seus mártires antifascistas da Guerra de Libertação Nacional de 1944, liderada pelo revolucionário Enver Hoxha que terminou em 29 de novembro de 1944.

Thales Caramante


Foto: Zeri i se Vertetes

TIRANA – Membros do Partido Comunista da Albânia foram até o cemitério Varrezat e Dëshmorëve të Kombit (Cemitério dos Mártires da Nação), inaugurado por Enver Hoxha em 1971, na tarde de hoje (29) para prestar homenagens e honras aos combatentes que morreram durante a Guerra de Libertação Nacional.

Com bandeiras em mãos e postura militar, despojaram em frente ao monumento Nëna Shqipëri (Mãe Albânia) uma coroa de flores com a estrela vermelha do internacionalismo proletário. Entre os presentes, ainda tinham alguns velhos combatentes que foram prestar homenagens aos seus camaradas de armas, marcharam entre os túmulos com punhos levantados e rostos fechados.

Foto: Zeri i se Vertetes

Membro do Partido Comunista desde jovem, Qemal Cicollari declarou que “29 de novembro jamais pode ser esquecido, foi um ato glorioso do povo albanês sob a liderança do Partido Comunista e de Enver Hoxha contra a ocupação fascista-nazista. Enver Hoxha está no topo dos melhores gênios militares do povo albanês.”

Astrit Korpa, também membro do Partido Comunista, se pronunciou em homenagem aos guerrilheiros. “Devemos glorificar os bravos heróis partizans que nos trouxeram a liberdade. Jamais podemos esquecer de nossos mártires.”

Enver Hoxha, quando faleceu em 1985,  foi enterrado também como um guerrilheiro partisan, era localizado no topo do cemitério Varrezat e Dëshmorëve të Kombit, ao lado de seus camaradas e amigos partisans que não puderam ver a construção do socialismo em seu país posteriormente. Em seu funeral, milhares de operários e operárias, camponeses e camponesas compareceram para prestar suas homenagens, fazendo horas de fila ao que eles reconheciam como o maior herói da nação depois do já imortalizado Skanderbeg.

Após a intervenção imperialista na Albânia e o coup d’etat liderado por Sali Berisha, o caixão de Enver Hoxha foi removido e o espaço foi ocupado pelo fascista Azem Hajdari, que em 1998 foi assassinado em Tirana durante a insurreição popular contra o sistema neoliberal de investimentos em pirâmide, proposto por Sali Berisha, que levou à miséria generalizada de toda a população que posteriormente se insurgiu e elegeu o Partido Socialista nas eleições subsequentes. Todos os anos, membros da juventude e do Partido Comunista homenageiam o  aniversário de nascimento de Enver Hoxha.

Em 2016, após o Congresso de reorganização e unificação do Partido, o PKSH entrou como membro da Conferencia Internacional de Partidos e Organizações Marxistas-Leninistas (CIPOML).

Foto: Zeri i se Vertetes

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
6

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações