TwitterFacebookGoogle+

Livros

Manifesto do Partido ComunistaManifesto do Partido Comunista
(Karl Marx/Friedrich Engels)

É com orgulho que as Edições Manoel Lisboa apresentam ao público a magistral obra de Karl Marx e Friedrich Engels: o Manifesto do Partido Comunista.

Em seu Manifesto, publicado pela primeira vez em 1848, Marx e Engels apresentam uma análise histórica profunda do nascimento e desenvolvimento da sociedade capitalista; fundamentam o papel revolucionário da classe operária e de seu Partido e explicam os fundamentos da futura sociedade comunista.

No momento em que capitalismo vive sua maior crise desde a Segunda Guerra Mundial e que o fantasma da revolução socialista voltar a rondar o planeta, o estudo deste pequeno livrinho que, como disse Lênin, vale por tomos inteiros, permitirá a todos os leitores e, em particular, ao militante comunista ter mais segurança e domínio da teoria revolucionária.

Edição: 1ª
Ano: 2012
Editora: Edições Manoel Lisboa
Preço: R$12,00



livro biografia de lenin

Breve história ilustrada de Lênin
(Elio Bolsanello)

O mundo jamais sera o mesmo após Lênin. Marco da História Universal, Vladimir Ilich Ulianov mudou os rumos do século XX. Liderando a primeira revolução socialista vitoriosa da Terra, ele conduziu seu povo a enorme avanço social: direito á terra, á saúde, á habitação, ao trabalho, à educação – ao Socialismo.

Sem dúvida, a Revolução Russa de 1917 constitui-se no acontecimento sócio-político-econômico mais importante do século XX.

A obra do grande líder revolucionário russo é imortal.

Confira através dessa sua pequena biografia ilustrada, com a qual o autor pretende, homenagear o símbolo do passado, do presente e do futuro na luta pela libertação.

Edição:
Ano: 2012
Páginas: 136
Editora: Edições Manoel Lisboa
Preço: R$26,00



livro stalin materialismo dialetico

O Materialismo dialético e o materialismo histórico
(Josef Stálin)

O estudo da filosofia marxista-leninista é um dos mais importantes elementos na formação da concepção cientifica do mundo e da educação comunista. Não é possível, pois, ser marxista sem antes estudar sua filosofia, o materialismo dialético, e aplicar estes princípios na vida social.

No entanto, a burguesia e seus intelectuais sempre procuram apresentar a filosofia como algo acessível apenas a uma minoria de pessoas e muito difícil de ser compreendida pelos trabalhadores. Agem assim, para impedir que a classe operária descubra que nada é eterno nem imutável e, portanto, é possível transformar a sociedade e acabar com a exploração do homem pelo homem.

Preocupado com essas questões, J. Stálin (1922-1953), construtor do socialismo na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas e principal responsável pela derrota do nazismo na 2a Guerra Mundial, escreveu O Materialismo Dialético e o Materialismo Histórico.

Neste livro, Stálin faz uma exposição ao mesmo tempo profunda e objetiva das características fundamentais da filosofia marxista e do materialismo histórico e torna compreensível o que antes parecia nebuloso e confuso na filosofia. Stálin mostra ainda a importância de se estender os princípios da Dialética ao estudo da vida social, ao estudo da história da sociedade e a prática revolucionária.

É assim, com grande satisfação, que as Edições Manoel Lisboa publica O Materialismo Dialético e o Materialismo Histórico, convencidos de que a leitura e o estudo dessa obra é indispensável para todos aqueles que querem conhecer a ciência da revolução socialista, o marxismo-leninismo, e lutam para transformar a injusta sociedade em que vivemos.


Tipo: Brochura
Ano: 2010
Páginas: 44
Editora: Edições Manoel Lisboa
Preço: R$16,00




livro como enfrentar a repressãoComo enfrentar a repressão
(Carlos Marighella, Julius Fucik, Manoel Lisboa e Victor Serge)

Como prova toda a história da humanidade, as classes dominantes sempre defenderam com com violência o seu “direito” de explorar os trabalhadores. Sem vacilação, a burguesia usa da repressão das Forças Armadas e da polícia, limita ao mnimo possível os direitos democráticos e emprega todos os meios violentos e terroristas para conservar a propriedade privada dos meios de produção. No Brasil, por exemplo, a burguesia já realizou diversos golpes militares para manter o poder em suas mãos: 1930, 1937, 1945 e 1964.

Mas não se trata só de passado, mas sim do presente.

Em nosso continente, o imperialismo norte-americano instalou mais sete bases militares na Colômbia, reativou a 4ª Frota Naval e promoveu o golpe militar em Honduras em junho de 2009. Ao mesmo tempo, tornou-se comum em todos os países da América Latina a formação e o financiamento de bandos paramilitares pelos latifundiários e burgueses e a repressão para deter o avanço das lutas dos trabalhadores e das massas populares. Também não é mais segredo as selvagens torturas aplicadas pelo exército norte-americano aos iraquianos nas prisões de Abu Ghraib ou em Guantánamo.

Por isso, é muito importante que o militante revolucionário adquira uma postura correta diante do seu inimigo de classe e esteja preparado para enfrentá-lo em qualquer situação. É com o objetivo de contribuir para essa formação ideológica do militante comunista, que decidimos lançar este livro com artigos de e testemunhos dos revolucionários Carlos Marighella, Julius Fucik, Manoel Lisboa e Victor Serge sobre como enfrentaram a repressão. Nesses artigos e depoimentos, o leitor encontrará uma orientação precisa de como enfrentar a violência do estado capitalista.


Tipo: Brochura
Ano: 2010
Páginas: 72
Editora: Edições Manoel Lisboa
Preço: R$16,00




livro o falso socialismo chinesO falso socialismo chinês
(Luiz Falcão)

Após a morte de Karl Marx, surgiram vários teóricos “marxistas” propondo reformulações nos princípios do socialismo científico. O mesmo ocorreu depois da morte de F. Engels, V.I. Lênin e J.Stálin.

Todos tinham em comum o reconhecimento formal do marxismo-leninismo e propostas de inovações na teoria revolucionária. Não por acaso, entre estas revisões estavam a recusa do caráter de classe do Estado, a negação da necessidade da propriedade social dos meios de produção e a defesa da harmonia entre as classes para construção do socialismo.

Somam-se, agora, a estes revisionistas, novos teóricos que antes mesmo de aprenderem o a-bê-cê do marxismo, se lançam a propagandear o “socialismo do século XXI” sem, no entanto, responderem a várias questões importantes como a necessidade da ditadura do proletariado, ou mesmo, o que é o modo socialista de produção.

Em O Falso Socialismo Chinês, Luiz Falcão, diretor do jornal A Verdade e membro do Comitê Central do PCR, discute esses temas e a questão do mercado no socialismo.


Tipo: Brochura
Ano: 2007
Páginas: 80
Editora: Edições Manoel Lisboa
Preço: R$16,00




Print Friendly
pvc_views:
3479
dsq_thread_id:
2781480999

1 comment

  1. JOÃO ALVES DE ALMEIDA FILHO

    Desejaria saber se tudo que está acontecendo hoje, não é um espelho da ditadura? Desde os governos militares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações