TwitterFacebookGoogle+

Após o golpe, Parlamento discute banir comunistas no Brasil

Família fascista (da esq. para direita): Jair, Eduardo e Carlos Bolsonaro.

Família fascista (da esq. para direita): Jair, Eduardo e Carlos Bolsonaro.

Um projeto de lei apresentado no último dia 23 de maio pode banir organizações e símbolos comunistas no Brasil, pouco mais de 10 dias após a posse de um novo governo interino através de um golpe parlamentar. O projeto foi apresentado pelo deputado de extrema direita Eduardo Bolsonaro, filiado ao Partido Social Cristão (PSC), mesmo partido do atual líder do governo na câmara dos deputados.

O projeto se aproveita da lei 13.260, conhecida como lei antiterrorista, aprovada por iniciativa do governo Dilma Rousseff (PT). Através da modificação do lei, os deputados podem incluir como crime a “apologia ao comunismo” e o uso dos seus símbolos, como a foice e martelo.

Inspirado em leis anticomunistas aprovadas em países do Leste Europeu (Ucrânia, por exemplo), o projeto pretende igualar o uso dos símbolos do nazismo e do comunismo. Se aprovado, o projeto colocaria na ilegalidade partidos registrados no Tribunal Superior Eleitoral, além de outros partidos e organizações comunistas que atuam no país.

Na justificativa do projeto, Eduardo Bolsonaro destaca a participação dos comunistas na resistência à ditadura militar, que vigorou no Brasil de 1964 a 1985.  Afirma também que a tortura é atitude justificável, ou simples excesso, à resistência imprimida pelos comunistas, destacando o papel do torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra.

No momento em que o governo interino pretende realizar uma reforma previdenciária contrária aos direitos dos trabalhadores, quando pretende retirar uma série de direitos trabalhistas adquiridos desde a década de 1930 como resultado de greves e mobilizações, a proposta de banimento dos comunistas é uma forma de impedir a resistência. Sem a ação organizada da classe trabalhadora, os monopólios e bancos se veriam livres para impor um regime de terror semelhante ao que o Brasil viveu há pouco mais de 30 anos.

A partir de agora, o projeto tramita pelas comissões do Congresso e ainda não tem data para ser votado.

Jorge Batista, São Paulo

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
2434
dsq_thread_id:
4854156905

2 comments

  1. Charles Feitosa de Souza

    ERA SÓ O QUE FALTAVA…NO MÍNIMO ESSA FAMÍLIA DE ESQUIZOFRÊNICO ESTÁ QUERENDO É BRIGA MESMO HEM?…SOU COMUNISTA,MARXISTA,LENINISTA,TROTSKISTA,GUEVARISTA,NÃO SOU ATÉU…SOU ADEPTO DAS IDEIAS DE JESUS CRISTO,PORQUE ELE FOI COMUNISTA…E AI FAMÍLIA BOSONARO,VAI ENCARAR?…O QUE DEVE SE BANIR É A ARROGÂNCIA E ELA TÊM NOME BOLSONAROS.

  2. Saúde Encima

    Olá, gostei do artigo. É bem fundamentado e com excelentes dicas. Espero ter outros com essa qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações