TwitterFacebookGoogle+

Governo Macri enfrenta quarta Greve Geral na Argentina

A Confederação Geral do Trabalho (CGT), principal central sindical da Argentina, convocou a quarta greve geral contra a política econômica do Governo Macri. O movimento começou à meia-noite (hora local) da última terça-feira (25/09).

A principal pauta da paralisação é o rechaço aos ajustes do governo em meio à crise que afeta o país por causa da forte desvalorização do peso e da altíssima inflação, que chegou aos 30% só neste ano.

As linhas de metrô, ônibus e trens de Buenos Aires foram paralisadas, e até os táxis não rodaram. Nos hospitais só funcionam os serviços básicos de emergência. As escolas e os portos não funcionaram. Bancos foram fechados, a coleta de lixo e os postos de combustível também foram afetados. Partidos de esquerda e organizações sociais estiveram concentradas em várias partes do país durante o dia inteiro.

O presidente do Banco Central da Argentina, Luis Caputo, renunciou após três meses no cargo. Em discurso na Assembleia da ONU, o presidente Mauricio Macri ignorou a greve em seu discurso e afirmou que está fazendo os “esforços corretos” para conter a crise que afunda o país.

Diego Lopes – Militante da UJR/MG

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
51

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações