UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 25 de setembro de 2022

Juventude ergue barricadas em Londres

Revoltados com o assassinato covarde de Mark Duggan, morador de um bairro de 29 anos, no sábado dia 6 pela polícia, e com os cortes nos gastos sociais, principalmente na educação e na saúde, e o alto desemprego, jovens ingleses estão nas ruas desde domingo  promovendo várias manifestações e enfrentamentos com a polícia. Os jovens ergueram barricadas para se proteger dos tiros da polícia. Na terça feira, dia 9 de agosto, outro cidadão, de 26 anos, foi morto em Croydon,, subúrbio londrino, por um tiro. O governo em vez de atender a reivindicação de Justiça dos manifestantes, decidiu aumentar a repressão.

As férias da Scotland Yard foram todas suspensas. “Vamos ter ajuda de policiais de outras regiões do país e faremos tudo que for necessário para impedir a desordem. Até agora 700 pessoas foram presas e vamos fazer de tudo para acelerar os processos, porque devemos esperar mais detenções. Vocês (manifestantes) vão sentir a força total da lei. Se vocês têm idade o suficiente para cometer esses crimes, vocês têm idade o suficiente para serem punidos”, declarou em tom raivoso o primeiro-ministro.

Segundo o “Guardian”, cerca de 200 jovens entraram em confronto com policiais no Centro de Birmingham, vitrines de lojas foram quebradas. Mais tarde, uma delegacia foi incendiada, e 87 pessoas presas. Uma “zona de exclusão” foi instalada ao redor do shopping center “Bullring”, que fica perto da área onde os conflitos iniciaram. A polícia local disse que mais agentes foram convocados para trabalhar depois que trocas de mensagens na Internet alertavam para uma mobilização na cidade.

Devido aos protestos, o amistoso entre Inglaterra e Holanda marcado para quarta-feira, dia 10, em Wembley, foi cancelado, apesar de 70 mil ingressos vendidos. Os confrontos se concentra mais nas periferias, mas atinge também as áreas mais nobres de Londres. Na segunda-feira, vário grupos de jovens atacaram na segunda-feira os bairros de Hackney, Peckham, Lewisham, Croydon, Clapham, Kilburn, Camden, Notting Hill, Colliers Wood, Ealing e Dalston, entre outros. Todos esses bairros são pobres e possuem grande população de trabalhadores imigrantes desempregados. Moradores afirmam que há muita raiva contra a forma que a policia trata os pobres que são revistados sem nenhuma razão.

Panfletos dos organizadores dos protestos são distribuídos ensinando como não ser capturado pela polícia. Um dos panfletos orienta: “Joguem fora todas as roupas usadas nos protestos, inclusive mochilas e acessórios, mudem a cor do cabelo ou passem a usar óculos e barba”. Também, ensina a não fazer nenhum comentário sobre a ação na internet e a se defender das agressões da polícia.

Da Redação

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes