UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 8 de dezembro de 2022

Marcha das Margaridas reuniu 70 mil trabalhadoras rurais

A quarta edição da Marcha das Margaridas reuniu em Brasília, nos dias 16 e 17 de agosto, cerca de 70 mil mulheres do campo e das florestas de todo o Brasil.  A marcha, que é hoje uma das maiores mobilizações das mulheres agrárias na América Latina, conjugou as propostas e reivindicações dessas trabalhadoras rurais às ações das trabalhadoras das cidades. As Margaridas, que demoraram em média dois dias de viagem para chegar à capital do país, traziam em suas malas 2.011 Razões para Marchar.

As trabalhadoras foram em busca de resposta às reivindicações apresentadas ao Governo Federal para melhorar a qualidade de vida e trabalho das mulheres do campo, com foco na saúde e no enfrentamento da violência.

Antes de realizarem, no dia 17, a marcha que seguiu do Parque da Cidade até a Esplanada dos Ministérios, as Margaridas participam de oficinas e palestras em que puderam trocar experiências e, principalmente, dividir histórias da dura realidade das trabalhadoras do meio rural.

No encerramento das atividades, a presidente Dilma Rousseff, acompanhada de diversas ministras e ministros, foi à Cidade das Margaridas para entregar às marchantes o caderno de respostas às suas reivindicações. Dilma aproveitou o momento de solenidade para anunciar a criação de um grupo de trabalho interministerial que debaterá as demandas das mulheres do campo.

A secretária de Mulheres da Contag, Carmen Foro, que recebeu o caderno das mãos da presidente, falou da necessidade urgente de reforma agrária e de implementação de políticas de enfrentamento à violência contra a mulher, tendo em vista que a luta pela terra e pelos recursos naturais motivam a violência contra a trabalhadora rural, principalmente na região amazônica. Carmen completou dizendo que aquelas trabalhadoras, e outras milhares que ali não puderam estar presentes, querem, sim, discutir a situação da vida no campo, mas, para além, querem fazer parte das decisões que definirão os rumos do país.

Ana Rosa Carrara, São Paulo

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes