UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 25 de junho de 2022

Viva o escritor do povo carioca

No dia 11 de março foi inaugurado no Centro do Rio de Janeiro, na Rua do Lavradio, o busto do escritor carioca Afonso Henriques de Lima Barreto.  Essa homenagem vem sendo perseguida há alguns anos pela Casa Lima Barreto, uma confraria de cultura popular que divulga a obra do escritor e que conta com muito samba.

Estavam presentes os confrades da Casa, a velha guarda da Portela, o escultor do busto, Edgar Duvivier, o representante da prefeitura do Rio de Janeiro, além dos frequentadores assíduos das atividades da Casa Lima Barreto que acompanharam a luta por essa justa homenagem.

Para Simão, um dos confrades da Casa, “Lima Barreto tinha uma grande devoção ao povo humilde e uma paixão pela cidade do Rio de Janeiro. Devoção que pode ser detectada nas personagens de seus contos, romances e crônicas. Diz Moisés Gikovate: “O amor à sua terra vibra nas descrições dos aspectos naturais do Rio e de seus subúrbios. Foi Lima Barreto o romancista da gente humilde e dos desprotegidos da sorte”.

 Lima Barreto foi um escritor que não cedeu às oligarquias dominantes do inicio da Primeira República. Denunciava em seus contos todas as desigualdades e mazelas que via em seu dia a dia; escritor de origem humilde, do subúrbio do Rio de Janeiro, nunca esqueceu suas raízes. Foi um dos precursores do modernismo, pois escrevia “ao correr da pena” sem se valer de textos cheios de pompa e com pouco conteúdo, e, sim, usava palavras simples, com um estilo próprio e que muito tinha a dizer.

Para o artista Edgar Duvivier, “Lima Barreto foi sem dúvida um grande escritor que representou a alma de nossa cidade. Nunca fez parte da Academia. Era mulato, pobre, suburbano, mas venceu todos esses obstáculos e preconceitos e se firmou como um dos maiores escritores do país. Fico, portanto, muito feliz em tomar parte nesse agradecimento, nesse reconhecimento que vem em forma de uma homenagem em bronze e que ficará lá, dia e noite, olhando e sendo olhada pelo povão que passa na [rua do] Lavradio, bem perto do local onde ele, Lima, morou.”

Conheça mais da Casa Lima Barreto: http://www.casalimabarreto.com

Nathália Lardosa, Rio de Janeiro

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes