UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 4 de dezembro de 2022

Famílias sem-teto, lideradas pelo MLB, ocupam terreno em Engenho do Meio

Às 4hs da manhã de hoje, segunda-feira, 30 de Janeiro, 350 famílias sem-teto ocuparam um terreno da União sob administração da Universidade Federal de Pernambuco, em Recife, no bairro do Engenho do Meio. A ação é coordenada pelo Movimento de Luta nos Bairros Vilas e Favelas – MLB, o mesmo que no último Dezembro ocupou os corredores do Shopping Center Recife numa mobilização chamada de “Natal Sem Fome”, conquistando 250 cestas básicas de uma grande rede privada de distribuição de alimentos. O terreno nunca foi utilizado e só servia para acumulo de lixo.

Às 10hs o movimento já tinha conseguido organizar toda a infraestrutura coletiva, com banheiros, distribuição de água, cozinha e fornecimento de energia elétrica. A polícia militar visitou o local, mas, não tomou nenhuma ação por o terreno ser de propriedade federal. O Grupo Tático Operacional – GTO, agentes de segurança interna da UFPE, estão de prontidão do lado de fora do terreno. Vários veículos da imprensa local já foram ao Engenho do Meio para relatar os acontecimentos. A imprensa da Universidade também registrou o movimento e espera-se que a Reitoria dê um pronunciamento oficial sobre a ocupação até o final da tarde.

Às 15h um Comissão do MLB foi recebida pela Chefe de Gabinete da Reitoria da UFPE, Solange Galvão Coutinho e Ivaldo Pontes diretor presidente da FADE-UFPE, que afirmaram que não faria a reintegração de posse antes que todos os canais de diálogos fossem utilizados para se chegar numa solução negociada e iria marcar uma nova reunião com a presença do Reitor Anísio Brasileiro. Em solidariedade ao movimento participou da reunião Luis de La Mora professor da UFPE e Oníldo Romão acessor do Deputado Federal João Paulo.

A capital pernambucana é uma das campeãs nacionais entre os municípios com maior quantidade de aglomerados de habitações irregulares. Em todo o Brasil, 7,9 milhões de famílias estão excluídas do acesso à moradia digna. Nas cidades brasileiras, homens e mulheres, jovens, adultos, crianças e idosos vivem como animais, comendo comida estragada do lixo e morando em casebres de papelão ou debaixo das pontes. De acordo com estimativas da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2020, 55 milhões de brasileiros viverão em favelas.

 

 

Coordenação Estadual do MLB,

Recife, 30 de Janeiro de 2012.


Outros Artigos

3 COMENTÁRIOS

  1. O Professor Ivaldo Pontes não é mais Secretário Executivo da Fade – UFPE, cargo ocupdo hoje em dia pela professora Suzana Montenegro, Ivaldo Trabalha diretamente com a Reitoria da UFPE

  2. acho certo invadirem,pois são famiIias com criancas,q precisam de moradias,onde,ja q a o terreno esta abandonado.onde servia de de nada,so para drogados,e outras pessoas a fazerem sexo,acho q a ufpe deveria doar este terreno a eIes,para casas.sou aIuno da ufpe,

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes