UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 26 de maio de 2024

MPD condena violenta invasão de domicílios de 10 jovens detidos injustamente

MPD condena violenta invasão de domicílios de 10 jovens detidos injustamenteQuando já está perto de vencer a Instrução Fiscal iniciada contra 10 jovens estudantes, profissionais, capturados em 3 de março do 2012, dias antes da realização da “Marcha pela Água, pela Vida e pela Dignidade dos Povos”, por reunirem-se para debater o tema e a realidade nacional do país, no setor de Luluncoto, ao sul de Quito, e como até hoje não encontraram provas de uma suposta desestabilização do Estado, o governo utiliza medidas de intimidação e perseguição contra seus familiares. Assim, no dia 27, de maneira simultânea, às 5 da manhã, a polícia de forma violenta e arbitrária invadiu os domicílios dos 10 trabalhadores, sem se importar que em seus lares se encontrem crianças e pessoas idosas a quem atemorizam com seus atos agressivos e prepotentes.

A perseguição e assédio por parte da polícia e da fiscalização extrapola os limites, ao violentar de maneira agressiva os domicílios, deixando repercussões psicológicas nos familiares mais vulneráveis como são as crianças e idosos. Além disso, ordenaram a interceptação dos telefones locais e celulares dos familiares e de dirigentes públicos, violando o direito à privacidade e integridade. É assim que este governo pretende calar e deter a luta social, objetivo que não conseguiram nem os governos anteriores, nem a direita do século XXI, afirmou o Congressista Jorge Escala. sancionar

Nem mesmo com medidas de violência e perseguição conseguem encontrar provas para sustentar um delito contra estas pessoas de bem, mas de qualquer forma tentarão justificar a violação aos direitos humanos com que submeteram estes jovens e seus familiares. Prática desta natureza só se vive em governos de direita fascista, que em vez de perseguir e capturar funcionários envolvidos em atos de corrupção como os ex-Comissários de Guayaquil, ou o ex-governador Roberto Couro e Intendente, ou o ex-ministro Carrión, conhecido como o papa cheques, ou Walter Poveda, ex-ministro da Agricultura, envolvido no delito de peculato durante sua gestão, e outros atos de corrupção, ao contrário, dedicam-se a perseguir e a intimidar jovens estudantes e trabalhadores.

 Relações Públicas MPD

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes