UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 29 de novembro de 2022

Eliana Silva: exemplo de vida e de luta para todos

Eliana Silva

Após quatro anos da morte da companheira Eliana Silva, famílias da ocupação que recebeu seu nome e do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) de Minas Gerais fizeram uma homenagem em memória ao seu exemplo de vida.

Eliana Silva de Jesus, destacada militante popular e socialista, nasceu em 03 de novembro de 1964. Iniciou sua militância política durante no movimento estudantil secundarista, ainda na década de 1980, nas lutas pelo fim da Ditadura Militar fascista e nas campanhas de democratização no Brasil. No movimento estudantil participou ativamente da reorganização da União Colegial de Minas Gerais (UCMG), em 1989, dos congressos da Ubes e das intensas lutas pelo meio-passe em Belo Horizonte e pela conquista da meia-entrada (1992). Apoiou a organização do movimento sindical, atuando em várias greves e eleições de sindicatos e categorias importantes, como construção civil, metalúrgicos e rodoviários. Em 1995, quando ocorreu a cisão do Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-8), Eliana Silva não vacilou em se juntar ao grupo de companheiros que decidiram reorganizar o Partido Comunista Revolucionário (PCR), do qual foi militante até sua morte.

Eliana Silva tinha, entre outras características, a simplicidade e a sensibilidade capazes de compreender e lidar com os problemas vividos pelo ser humano. Por isso, colocou sua vida à disposição de todos os seus semelhantes, dedicando seu tempo a ajudá-los e organizá-los coletivamente.

Muitas lutas e conquistas na Vila Corumbiara

Em março de 1996, participa da organização de uma das maiores e mais combativas ocupações urbanas do país: a Ocupação da Vila Corumbiara, na região do Barreiro, na Capital mineira, sendo uma das principais lideranças desse movimento, resistindo às ameaças do cerco policial e ao descaso e ordens de despejo do prefeito Patrus Ananias diante do problema das famílias de ocupantes.

Naqueles anos, não existiam programas de construção de casa populares. Tudo precisava ser conquistado com intensas lutas, e, como presidente da Associação dos Moradores, Eliana foi protagonista delas. Da união e da resistência dos moradores, a Vila Corumbiara cresceu e se transformou num bairro. Todos os direitos conquistados pelas famílias da Vila foram fruto de muitas lutas, muitas passeatas, manifestações e ocupações da sede Regional da Prefeitura, no Barreiro. Assim, foi possível conquistar transporte escolar, linha de ônibus do bairro até a Estação, asfalto, coleta de lixo, iluminação pública, rede de água e esgoto na comunidade.

Eliana lutou até os últimos dias de sua vida pelo direito ao título de posse das casas, conquista que só foi obtida pela comunidade apenas após sua morte.

Em um depoimento emocionado, Joana do Espírito Santo, moradora da Vila desde seu surgimento, disse sobre sua convivência com Eliana: “Uma pessoa que se preocupava não só com ela, com a família dela, mas com todos. Não deixava nada passar em branco, conseguia carro de som, lutava com o povo, fazia aniversário da ocupação da Vila. A casa dela era um verdadeiro escritório, onde fazia os jornais e reunia as pessoas. Passava nas casas convidando os moradores e logo assumiu a Associação dos Moradores. Era uma pessoa que reunia e aconselhava as famílias. Cuidava dos filhos dos outros como se fossem dela e mesmo quando ficou doente não parava quieta e lutava com agente”.

No ano de 1999, juntamente com companheiros de diversos estados do Brasil, participa da organização e do congresso de fundação do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), realizado em Belo Horizonte, integrando sua coordenação nacional.

Ao descobrir um câncer de mama, imediatamente iniciou um duro tratamento. Foram alguns anos de luta contra a doença e, apesar de ter encarado mais esse desafio com a mesma disposição e energia de sempre, infelizmente faleceu no dia 22 de janeiro de 2009. Apesar da tristeza com a perda de Eliana, os moradores da Vila Corumbiara continuaram na luta e elegeram uma nova presidente para a Associação de Moradores, que dá continuidade ao trabalho pelas melhorias na comunidade.

Em abril de 2012, durante a assembleia das famílias que acabavam de realizar uma nova ocupação em Belo Horizonte, foi decidido, por unanimidade, prestar uma justa homenagem a esta lutadora revolucionária, batizando o local com seu nome. Em poucos dias, o nome Eliana Silva estava sendo anunciado em todos os principais jornais, rádios e redes de TV de Minas Gerias e do Brasil, tamanha a repercussão que teve a ocupação, destacando-se como uma das principais ocupações urbanas do país no ano de 2012.

Após quatro anos de sua morte, o MLB de Minas Gerais e a Ocupação Eliana Silva lhe fazem uma homenagem, mantendo viva não apenas a luta do povo pobre, mas a luta revolucionária por profundas transformações sociais, pelo fim do injusto sistema capitalista e pelo socialismo.

A seguir, publicamos uma parte do texto escrito pela própria Eliana Silva, dias antes de sua morte, em que deixa uma mensagem de otimismo e fé na vida a todos os seus companheiros de lutas do PCR, do MLB e da Vila Corumbiara.

“Viva. Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida com paixão, perder com classe e vencer com ousadia. Porque o mundo pertence a quem se atreve, e a vida é “muito” para ser insignificante. Não há nada como um dia após o outro para renovarmos nossas forças, a prece não traz soluções milagrosas aos nossos problemas, mas nos dá a paz, serenidade, compreensão e fortalece-nos, então somos capazes de encontrar os melhores caminhos. Se Deus resolvesse os nossos problemas que mérito teríamos? Aprenderíamos com eles? E tudo quanto a vida nos apresenta vem para nos ensinar a sermos melhores. Somos capazes de amar e amar é uma forma de viver…Somos viajantes que escolhemos nossas estradas conforme nossa inteligência e vontade. Respeitar a escolha alheia, mais do que alertar e mostrar pelos próprios passos a estrada por nós escolhida, não é possível fazer a nossa fronteira. A verdade libertadora é aquela que conhecemos na atividade incessante do bem.” – Eliana Silva de Jesus.

Leonardo Pericles,
Coordenação Nacional do MLB

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes