UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 25 de setembro de 2022

Juventude conquista redução de passagens no Rio

RIO - Samuel TostaUma onda de manifestações tomou conta do Brasil, e o Estado do Rio de Janeiro registrou as maiores passeatas desse movimento. No dia 17 de junho, mais de 100 mil pessoas contra os aumentos nas tarifas dos transportes públicos.

Vendo o enorme crescimento do movimento, o governador e o prefeito da Capital resolveram atender a reivindicação da passeata. No dia 19, anunciaram a redução das tarifas de metrô, trem, barcas e ônibus. Porém, isso não foi o suficiente para acalmar quem já está cansado de ver o custo de vida só aumentar. No dia seguinte à redução das tarifas, mais de um milhão de pessoas tomaram o Centro da cidade em manifestação exigindo tarifa zero, CPI dos ônibus, mais verba para saúde e educação, contra os leilões de petróleo e contra as privatizações, entre outras bandeiras.

Além dos atos no Centro da Capital, diversos bairros e cidades do Estado fizeram grandes manifestações. Fruto dessas manifestações mais cinco cidades da região metropolitana também reduziram a tarifa.

Contra a repressão policial

Durante todas as manifestações, viu-se a maneira truculenta com que a Polícia tem reagido. Tiros de fuzil e pistola para o alto, agressões e uso de “armas não letais” são comuns e contra todos que estiverem passando perto da passeata, sem nenhuma distinção e consequência.

Prisões sendo realizadas sem nenhuma prova, como no caso de Caio Brasil, estudante de Engenharia da UFRJ e militante da UJR, que foi preso e permaneceu em um presídio de segurança máxima durante três dias. No dia 25, mais de três mil pessoas participaram da reunião do Fórum de Lutas Contra o Aumento das Passagens e aprovaram a realização de novos atos e de que a luta continuará. Não basta reduzir as tarifas, precisa sair do bolso dos empresários de ônibus e não dos cofres públicos como querem os governantes. A luta segue também contra as privatizações, contra a repressão policial e pela anulação dos processos contra os manifestantes.

Rafael Coletto, Rio de Janeiro

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes