UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 8 de dezembro de 2022

Secundaristas avançam organização em Minas

No dia 26 de agosto, aconteceu o 7º Congresso da Associação Metropolitana dos Estudantes Secundaristas de Belo Horizonte (Ames-BH).  O Congresso aprovou uma jornada de lutas pelo passe-livre e elegeu sua nova diretoria para o biênio 2017-2019. Sediado no Instituto de Educação de Minas Gerais, a atividade reuniu mais de 220 estudantes de dezenas de escolas estaduais, de Institutos Federais e de colégios privados, que debateram os problemas da educação, a cultura, o combate ao preconceito e as desigualdades sociais.

O legado histórico da Ames-BH é grande. Em 2011, mobilizou grandes passeatas e conquistou o meio-passe estudantil. Hoje, o Congresso aprova uma jornada de lutas pelo direito ao passe-livre estudantil. A jornada será articulada pelos estudantes através da Ames-BH, junto aos grêmios e às escolas de toda a Região Metropolitana.

O passe-livre é um importante direito para ser conquistado. Algumas cidades do país já possuem esse direito, como o Rio de Janeiro e Goiânia. O injusto preço das passagens nos transportes coletivos impede que milhares de jovens tenham seu direito à mobilidade na cidade; impede que desfrutem do direito ao lazer, à cultura e mesmo à educação.

Laura Moreira, estudante do IEMG, foi eleita para a presidência da entidade e, junto com uma ampla diretoria, dará continuidade e sustentação às lutas nos próximos dois anos.

Umes de Ouro Preto na luta

No dia 19 de agosto, foi realizado, em Ouro Preto, cidade marcada por grandes movimentações populares, o segundo Congresso da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (Umes). Entidade recém-fundada e que mesmo com o seu pouco tempo de existência vem realizando grandes lutas, mostra-se cada vez mais presente no cotidiano dos estudantes e é reconhecida por sua representatividade no movimento popular da cidade histórica mineira.

Sediado na Escola Estadual de Ouro Preto, o Congresso reuniu cerca de 100 estudantes de dez escolas da cidade e dos distritos, mostrando a energia de um movimento rebelde e combativo capaz de aglomerar forças e tocar a verdadeira luta pelo direto dos estudantes.

Foram feitos diversos debates e foi aprovada a luta contra os altíssimos preços das passagens e pela sede da Casa do Eestudante, um espaço não só de acolhimento, mas também de debates, cultura e arte. No final de 2016, com a onda nacional de ocupações estudantis, a Umes de Ouro Preto esteve presente em cinco escolas ocupadas na cidade.

UJR Minas Gerais

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes