UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 2 de outubro de 2022

Projeto do MLB fortalece as mulheres das ocupações urbanas

O Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), teve o projeto “Mulheres ocupando e resistindo do MLB” aprovado em edital da Ong  SOS Corpo, consistiu na realização de rodas de diálogo dentro das ocupações de Olinda, Jaboatão dos Guararapes e Recife. A ideia deste projeto foi fortalecer a organização das mulheres das ocupações  Rui Frazão, Selma Bandeira e Peixinho I e II, levantando a importância da participação feminina nos movimentos de luta pela moradia e também discutir as dificuldades que as trabalhadoras, mães e donas de casa enfrentam no dia-a-dia dentro das comunidades, como a violência urbana e doméstica, e também sobre o machismo. Estas atividades foram feitas com o apoio do Movimento de Mulheres Olga Benario.

O CEPAS (Centro de Ensino Popular e Assistência Social do Recife Santa Paula Frassinetti), realizou um projeto para fortalecimento das mulheres que fazem parte de ocupações urbanas na região metropolitana de Recife.

As rodas de conversa aconteceram nas ocupações em Olinda, Recife e Jaboatão dos Guararapes no mês de janeiro e contaram com a participação de diversas mulheres que deram seu testemunho de luta nas ocupações e o sentimento de vitória ao conquistar sua casa própria.

Uma das participantes disse: Conheci o MLB em 2012, através da minha irmã que estava na luta para ganhar sua casa na ocupação Dom Helder Câmara, em Recife. Através de várias reuniões, fizemos uma ocupação no bairro do Engenho do Meio (Recife) e denominamos em homenagem ao professor da Universidade Federal de Pernambuco, Rui Frazão, e quando ocupamos foi uma emoção muito grande e no outro dia já estávamos fazendo a cozinha comunitária, a creche coletiva…  E dentro da nossa ocupação tínhamos as comissões de segurança, de limpeza, de ir pedir doações, de cozinha e da creche. Nos deparávamos com alguns homens que não aceitavam que as mulheres ficassem na ocupação para garantir sua moradia e até alguns casos de violência. Também nos deparamos com problemas no entorno da ocupação, quando pessoas que não sabem da luta dizem que somos desocupados e invasores, quando na verdade ocupamos os espaços vazios sem funções sociais. Nós mulheres somos as que tem coragem de fazer ocupação.

Nossa luta por moradia vem de uma necessidade real porque muitas de nós não têm um trabalho e pagamos aluguel. Isso que nos fortalece e através da luta vamos resistindo e insistindo pela nossa moradia digna.

Elzanira da Silva, ocupante da Rui Frazão e coordenadora do MLB-PE.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes