UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quarta-feira, 6 de julho de 2022

União dos Estudantes Secundaristas de Belém realiza seu 8º Congresso.

As intensas mobilizações nas escolas belenenses resultaram, no dia de ontem (31), no 8° Congresso da União dos Estudantes Secundaristas de Belém – CONUESB, uma exigência necessária apresentada a uma entidade que, historicamente, vem assumindo seu compromisso com a luta dos estudantes.

O congresso foi marcado pela presença de mais de 100 estudantes de diversas escolas da capital e, também, pelas enérgicas saudações da mesa de abertura, composta pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (SINTEPP); entidades estudantis, como a Federação Nacional dos Estudantes em Ensino Técnico (FENET); União dos Estudantes Secundaristas de Belém (UESB); União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES); o partido político Unidade Popular pelo Socialismo (UP – Pará); além do Movimento Correnteza, o Movimento de Mulheres Olga Benário e a União da Juventude Rebelião (UJR).

Em suas falas, todos marcaram a necessidade da organização estudantil diante da conjuntura de ataques à Educação e retirada de direitos da classe trabalhadora e da juventude, tudo isso coordenado pelo governo do fascista Jair Bolsonaro e seus ministros. Também ressaltaram a combatividade dos estudantes e da UESB nas tomadas das avenidas e ruas, praças públicas e salas de aula, enfrentando todos aqueles que se puseram contrário a uma educação pública, gratuita e socialmente referenciada, a exemplo da derrota impressa pelas mobilizações estudantis no ano de 2018 sobre a falsa audiência “pública” da BNCC, que levou às ruas milhares de estudantes, os quais conseguiram barrar a reforma da matriz curricular proposta na época; além, é claro, dos estudantes do Pedro Amazonas Pedroso, os quais gritaram ELE NÃO nas mobilizações pré-eleições no ano passado, e que também não deixaram de ocupar as ruas nos Tsunamis da Educação em junho/agosto de 2019.

Sendo o 8° CONUESB o espaço onde foram tratadas as táticas para o enfrentamento dos retrocessos apresentados à juventude estudantil o congresso, por meio da gestão eleita, reafirmou o caráter rebelde e de luta da UESB, se mostrando como principal instrumento dos estudantes da capital belenense em defesa da educação pública gratuita e de qualidade.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes