TwitterFacebook

MLB realiza atos pelo auxílio de um salário mínimo

MOBILIZAÇÃO – Famílias organizadas pelo MLB lutam por um auxílio emergencial de salário mínimo. (Foto: Jorge Ferreira/Jornal A Verdade)

“Enquanto o povo padece de fome, o presidente Jair Bolsonaro e sua corja gastam mais de R$ 1,8 bilhão do dinheiro público em alimentos, 15 milhões de reais somente em leite condensado.”
Isabella Alho e Claudiane Lopes

SÃO PAULO (SP) – Para reivindicar renda mínima para milhares de brasileiras e brasileiros durante a maior crise sanitária da História, no valor de um salário mínimo, o Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) realizou, no dia 23 de fevereiro, de norte a sul do país, uma Jornada Nacional de atos, totalizando 11 estados com ocupações na Caixa Econômica Federal, protestos em praças e nas ruas.

“O que exigimos hoje por todo o país é, na verdade, o direito de viver dignamente. Não é possível viver com um auxílio de R$ 250, sem emprego, sem vacina e nenhuma garantia de sobrevivência”, afirma Mateus Troilo, coordenador do MLB em São Paulo.

Mesmo diante da segunda onda da pandemia de Covid e sem vacina para todos, milhares de famílias pobres atenderam ao chamado do MLB nesta ação coletiva por direitos. “Outros atos virão, pois, enquanto existir um genocida no poder, o povo se organizará e lutará pelo Fora Bolsonaro, em defesa da vida e de dignidade”, avisa Kleber Santos, coordenador nacional do MLB.

Sobreviver está ainda mais difícil em 2021. Os aluguéis subiram até 25%, as contas de água e luz entraram em bandeira vermelha, o preço dos alimentos e do gás de cozinha também sofreram altas impagáveis para o povo trabalhador. “Só sobrevivi à Covid e à fome porque tinha o auxílio. Agora, sem ele, sem emprego, eu vivo somente com o Bolsa Família de R$ 171,00 por mês. Como posso sustentar meus dois filhos? Sobrevivo devido à solidariedade de familiares, amigos e do movimento, afirma Dianne Glebia de Oliveira, da Coordenação do MLB no Ceará.

“A nossa vida está em risco. Como sustentar uma família sem emprego?”, denunciou Juliete Pantoja, coordenadora do MLB Rio de Janeiro. E continua: “É por isso que hoje tomamos as ruas. Sem luta, este Governo não vai cair! Precisamos urgentemente retirar esse genocida do poder”.

Enquanto o povo padece de fome, o presidente Jair Bolsonaro e sua corja gastam mais de R$ 1,8 bilhão do dinheiro público em alimentos, 15 milhões de reais somente em leite condensado. “É inaceitável que o Governo Federal e seu Ministro Paulo Guedes proponham agora, após tanta pressão popular, o pagamento de três parcelas de R$ 250 de auxílio para as famílias brasileiras, enquanto o próprio preço dos alimentos no supermercado vem encarecendo na pandemia, atingindo preços altíssimos”, disse Kleber Santos.

“A situação econômica e de saúde pública no país é muito crítica e a população sofre com o desemprego, sem oxigênio, com a alta no preço dos aluguéis, a falta de perspectiva na fila de vacinação, a carestia de vida e a fome. Enquanto isso, o Governo Bolsonaro enche sua família e os militares de privilégios, esbanja dinheiro público e negligencia as mais de 260 mil mortes pela Covid19”, denuncia Poliana Souza, coordenadora do MLB em Minas Gerais.

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações