TwitterFacebook

OPINIÃO | A mídia burguesa e os ataques do imperialismo norte-americano

Charge de Carlos Latuff, 2007. Reprodução.

Juan Machado, Rio de Janeiro

OPINIÃO – Lenin, na sua obra “O imperialismo, fase superior do capitalismo” (1916), estabeleceu que o imperialismo não é uma política particular adotada ou rejeitada por este ou aquele grupo de capitalistas. Para ele o imperialismo era uma fase definida, historicamente determinada, da evolução do capitalismo, a sua fase mais recente, mais adiantada, e a última.

O imperialismo estadunidense trouxe mazelas irreparáveis às populações do Oriente Médio e Latino Americanas. O governo Biden não apenas continua esse processo, mas o faz progredir para mais um ataque aos povos da América Latina.

Joe Biden, antes mesmo de ser Presidente, foi articulador político da Guerra do Iraque, assassino do mais alto escalão. Antes mesmo de ser Presidente, Biden protagoniza episódios deprimentes, mas nada como um bom e velho americano, que tenha um mísero poder.

Mídia burguesa ataca a Revolução Cubana novamente

A mídia imperialista exprime a sua vontade e necessidade de atacar as frentes de esquerda, mesmo que pequenas, e isto é visto desde muito tempo. Isso é um ponto chave para estabelecermos o que ocorre em Cuba, um fato, e o que é passado pelo mídia burguesa uma mentira.

Na realidade, em Cuba ocorrem diversos atos contra o bloqueio e os embargos econômicos dos Estados Unidos contra o país. Os revolucionários e o povo que lá estão, se mostram e colocam a cara sem medo, se mostrando cada vez mais exemplos para nós revolucionários aqui no Brasil.

A falsa democracia norte-americana

Joe Biden diz em liberdade, mas qual é a liberdade que um governo americano tem dentro de seu próprio país?  A “democracia norte-americana” é uma das outras mentiras da mídia burguesa. Quando se fala em Estados Unidos, sempre coloca-se um sorriso no rosto, como se aquele país tivesse tanta liberdade assim.

Camaradas, não se há liberdade enquanto um homem morre sufocado pela polícia militar; Não há e jamais terá  liberdade enquanto um camarada aliado é torturado na cadeia, como no caso de Rodrigo Pilha, Victor Aicau, e tantos outros que são presos injustamente pela truculência da polícia militar do Brasil.

O imperialismo existe, e há de se cuidar do broto, para que nós revolucionários tenhamos força e garra para combatê-lo. Com o exemplo do povo cubano, de camaradas que lutam por moradia, da juventude rebelião, que faz o que é necessário ante ao processo revolucionário. Se eles temem ao comunismo, nós mostraremos o poder popular, vindo das ruas com toda a raiva e necessidade de fazermos um pelos outros, uma revolução.

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações