UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 18 de abril de 2024

UNISINOS persegue estudantes e impede atividades do Movimento Estudantil

A Universidade do Vale do Rio dos Sinos teme o movimento estudantil organizado e tem usado os seguranças para impedir a organização das eleições para os delegados do Congresso da UNE, impedindo passagens em sala de aula, coleta de assinaturas e ingresso nos prédios da instituição. 

Everaldo Oliveira | Porto Alegre

EDUCAÇÃO – Durante os meses de maio e junho, o Movimento Correnteza tem promovido atividades a fim de divulgar o Congresso da UNE e as suas etapas regionais na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), além de participar das mobilizações contra o fechamento dos Programas de Pós-graduação e organizar a reativação de diretório acadêmicos, até então inativos. Entretanto, a direção da Unisinos tem orientado seus seguranças a impedir a divulgação em passagens nas sala de aula, não permitindo a realização de panfletagem e o ingresso nos espaços comuns da universidade. Uma verdadeira perseguição contra os estudantes e seus métodos de organização. 

Alunos relatam a hostilidade com que foram recebidos pelos seguranças do campus Porto Alegre, que os impediram inclusive de ficarem no espaço externo do prédio. “A chefia da segurança nos abordou fazendo várias perguntas de forma grosseira, dizendo que foi orientada a não permitir nenhuma atividade do tipo sem a autorização do setor do movimento estudantil e que era para solicitar o acesso ao DCE. A questão é que já tínhamos ido presencialmente no setor e eles não permitiram as atividades, e o DCE tem dificultado a participação de outros movimentos”, relata Laura Gabriele Neumann, estudante de Educação Física e coordenadora do Movimento Correnteza. 

Apesar da situação no campus Porto Alegre ser alarmante, impossibilitando completamente o contato com os estudantes, no campus São Leopoldo também foram tomadas as mesmas medidas, demonstrando que a perseguição do movimento estudantil é uma prática padrão na universidade. Em conversa com a redação do nosso jornal, Yumi que é estudante de história na Unisinos, desabafa:  “Estava fazendo a divulgação do Jornal A Verdade e o segurança veio e tomou os jornais da minha mão. Teve outra vez que participamos de um ato pela reversão do fechamento dos PPGs e a direção não deixou os estudantes participarem da reunião com a CAPES. Eles temem qualquer organização dos estudantes, nos perseguem, fecham salas que antes eram destinadas aos Diretórios Acadêmicos, enquanto sucateiam o Campus e alugam as salas para empresas privadas de ensino técnico”.

Segundo a Diretora da UNE, Sarah Domingues, que tem acompanhado de perto o processo na Unisinos, o DCE tem contribuído para a desmobilização estudantil assumindo a mesma postura da Universidade e impedindo a participação de outros movimentos estudantis. “Eles foram a única parte da comissão eleitoral que não acordou com as propostas para realização do processo unificado, o que causou o atraso até a semana de provas da universidade. Preferem reproduzir a mesma narrativa da universidade, não dialogando com os estudantes de outros movimentos, do que se arriscar a enfrentar a disputa de ideias”.

Essa prática por parte da Unisinos não é mera coincidência, pois usou dos mesmos recursos para impedir o processo do CONUNE em 2019, e desde lá tem aumentado o controle sobre os Diretórios Acadêmicos, utilizando do setor de (Anti) movimento estudantil para limitar a atuação e a organização dos estudantes. Não é à toa que muitos Diretórios deixaram de existir durante a pandemia e até agora tem enfrentado dificuldades para sua reativação. 

Por isso, se quisermos construir um movimento estudantil combativo, que seja capaz de barrar o sucateamento da Universidade e garantir direitos para os estudantes, precisamos fazer uma grande campanha de denúncia contra a censura e a perseguição feita por parte da instituição. Devemos promover plenárias e abaixo assinados pela livre organização estudantil. É preciso ocuparmos todos os espaços da universidade e lutarmos para que possamos ter mais democracia e que as necessidades dos estudantes da Unisinos sejam ouvidas.  

Organize-se no Movimento Correnteza! 

* Militante do Movimento Correnteza

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes