UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 25 de junho de 2024

28º Congresso da AMES-Rio reúne centenas de estudantes cariocas

28º Congresso da Associação Municipal dos Estudantes Secundaristas do Rio de Janeiro (AMES-Rio) reuniu estudantes de todas as regiões da capital fluminense para debater os rumos da luta pela educação.

Gabriel Puga | Rio de Janeiro


EDUCAÇÃO – Estudantes de toda a cidade do Rio de Janeiro se reuniram no Sindicato dos Bancários na sexta-feira (27) para participar do 28º Congresso da Associação Municipal dos Estudantes Secundaristas do Rio de Janeiro (AMES-Rio). A entidade tem uma história muito grande de luta pelos direitos estudantis e, pela primeira vez em anos, realizou um congresso a altura dessa história.

Em dezembro do ano passado, a antiga diretoria da AMES Rio, que abandonou durante cinco anos a entidade, convocou um congresso com três dias de antecedência, a ser realizado 5 dias antes do Natal, quando as escolas já estão esvaziadas.

Quando os estudantes da oposição chegaram lá, foram impedidos de retirar seus crachás, mesmo tendo seguido os critérios estabelecidos. Mesmo com a antiga diretoria da AMES tentando fazer uma votação às escondidas, os estudantes decidiram por continuar o congresso e eleger uma diretoria provisória, até que um congresso verdadeiramente democrático fosse mobilizado.

Democracia na base estudantil

A mobilização para esse novo congresso foi marcada pela participação estudantil: foram realizados dois conselhos de entidades de base e uma plenária geral dos estudantes da cidade para decidir sobre a convocação do 28° CONAMES.

Participaram do 28º CONAMES representantes de dezenas de escolas de todas as regiões da cidade, que foram eleitos para representar os seus colegas. Eles tiveram a oportunidade de opinar em todos os momentos do congresso: desde a mesa de abertura, até a aprovação de propostas e da nova diretoria.

Durante a manhã, duas mesas foram realizadas, com saudações dos sindicatos que apoiaram a realização do congresso, representações institucionais, de organizações políticas e entidades estudantis. Miguel Hauer, presidente municipal da Unidade Popular pelo Socialismo e ex-secretário-geral da AMES Rio, relembrou o protagonismo da AMES Rio nas conquistas como o Passe Livre e a derrubada da ditadura militar.

A segunda mesa teve como tema “Reforma a minha escola, revoga o Novo Ensino Médio” e contou com a participação de representantes da AERJ, UBES e UNE. Isabella Gandolfi, diretora da UBES pelo Movimento Rebele-se, ressaltou que “a AMES Rio tem potencial para iniciar mobilizações nacionais pela revogação do Novo Ensino Médio e, mais do que isso, garantir uma conquista específica em cada escola.”

Na parte da tarde, os delegados dividiram-se em quatro grupos de debate: antirracista, LGBTIA+, mulheres e grêmios. Várias propostas foram aprovadas em todos os grupos, com o objetivo de que a AMES se some nas mobilizações por uma escola democrática e livre de opressões.

Logo depois dos Grupos de Debate, aconteceu a plenária final. Nela, os estudantes elegeram uma nova diretoria com representantes de escolas de todas as regiões da cidade e tendo na presidência Daniel Trajano, do Colégio Pedro II Campus Centro. Para Daniel, que também integra a diretoria executiva da Associação dos Estudantes Secundaristas do Estado do Rio de Janeiro, “é muito fácil falar da história da AMES, das suas lutas e conquistas de antigamente. Mas o que nós queremos é construir essa história daqui pra frente, fazer com que a AMES Rio, nos próximos dois anos, lidere grandes conquistas ao lado dos estudantes da nossa cidade”.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes