UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 18 de junho de 2024

Polícia agride estudantes em ato contra embaixada de Israel no México

Ao menos 2 manifestantes feridos em manifestação na Embaixada de Israel no México em defesa do povo palestino e contra o genocídio em Gaza. Ao menos um manifestante está gravemente ferido.

Redação


INTERNACIONAL – Em manifestação realizada na tarde desta terça (28/05), centenas de estudantes se mobilizaram em frente à embaixada israelense no México. O ato foi feito para exigir o rompimento de relações diplomáticas daquele país com o regime sionista.

O ato em repúdio ao genocídio cometido pelos israelenses em Gaza foi brutalmente reprimida pela polícia da Cidade do México. No enfrentamento, ao menos 2 pessoas ficaram feridas, sendo uma delas com maior gravidade. Rossel Rivera, estudante da UNAM (Universidade Nacional Autônoma do México) e militante da União da Juventude Revolucionária do México, foi agredido fortemente na cabeça e se encontra internado.

“Nesse contexto, a Polícia da Cidade do México protegendo a embaixada do Estado assassino de Israel, começou a reprimir os manifestantes, como resultado foi agredido o companheiro Rossel, militante da União da Juventude Revolucionária do México, provocando feridas na cabeça, no momento o companheiro se encontra com estado de saúde delicado.”, afirmou em nota no Instagram a Frente Popular Revolucionária.

Mobilização mundial em defesa da Palestina

Desde o início dos massacres em Gaza, a juventude de todo o mundo se levanta em defesa da causa palestina e contra o Estado de Israel. Nos últimos meses, tem tido grande repercussão as ocupações de estudantes em universidades dos EUA e da Europa.

Na América Latina, ocorrem manifestações de solidariedade em vários países com regularidade, sendo o México um dos locais com grandes mobilizações. Resultado dessa pressão, o Estado terrorista de Israel está cada vez mais isolado na região.

Na Europa, fruto das mobilizações populares, mais 3 países passaram a reconhecer formalmente a independência do Estado da Palestina. Irlanda, Noruega e Espanha, puseram em vigor a decisão tomada ainda em abril. Com ela, o esforço capitaneado principalmente pelos EUA, de impedir o reconhecimento dos palestinos ao seu Estado, ficou prejudicado, aumentando ainda mais a pressão internacional com Israel.

Embaixadas de Israel pelo mundo são alvos de protestos

O México não é o único país a ter protestos em frente à embaixada israelense. Na Europa e em países como a Turquia, a população também se mobiliza e demonstra o repúdio à política de extermínio dos sionistas.

O que ocorreu na Cidade do México, com ao menos um estudante gravemente ferido, mostra até onde os Estados capitalistas estão dispostos a ir para garantir os interesses do sionismo. Assim como no México, no Brasil, a voz de defesa do povo palestino é todo dia censurada, com o silenciamento completo das representações palestinas nos grandes meios de comunicação.

A situação impõe a necessidade de se ampliar as mobilizações em todos os países em defesa da libertação da Palestina. Apenas quando o povo palestino estiver livre, os povos do mundo serão realmente livres.

Confira abaixo a nota da União da Juventude Revolucionária do México, sobre o ataque da polícia aos manifestantes (publicação completa neste link):

Neste 28 de maio, numa manifestação de solidariedade com a Palestina nosso amigo e camarada Rossel foi agredido por parte da polícia da Cidade do México e se encontra grave no hospital.

A manifestação ocorria em solidariedade com o povo palestino que está sofrendo um genocídio. A polícia cercou e agrediu o conjunto dos manifestantes.

Rossel é um estudante de geografia da UNAM e militante da UJRM. Se destacou pelo seu papel na luta estudantil desta universidade, assim como pela sua participação no acampamento por Palestina na reitoria da mesma instituição.

(…) Rossel se encontra lesionado e em estado delicado no hospital com um traumatismo craniano.

CONDENAMOS esta agressão e EXIGIMOS que o governo repressor de Marti Batres [Chefe de Governo da Cidade do México] se responsabilize pelos gastos com a saúde do nosso companheiro Rossel Rivera.

Fazemos um chamado aos povos do mundo, aos coletivos, organizações e sindicatos para impulsionar uma frente única para resistir juntos e a todo custo à agressão do regime burguês.

Governo maldito, reprimir é um delito!

Governo farsante, que reprime estudantes!

Justiça para Rossel!

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes