UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 3 de março de 2024

MOSTRANDO RESULTADOS PARA:

Mário de Souza Prata, um estudante revolucionário

Estudante de engenharia, Mário de Souza Prata foi presidente do Diretório Central dos Estudantes da UFRJ durante os primeiros anos da Ditadura Militar fascista....

Alemanha e Áustria crescem repressão a mobilizações da juventude

Desde o movimento Fridays for Future (sextas-feiras pelo futuro), que incentiva desde 2019 milhões de estudantes a praticar greves escolares e ocupar as ruas...

A herança da Ditadura Militar na PM do Rio de Janeiro

Chacinas, tortura, tratamentos desumanos e degradantes, abuso sexual, abuso de autoridade e do uso da força, assassinatos e desaparecimentos são algumas das heranças que...

Prefeito de Itaquaquecetuba investe em repressão na periferia

A prefeitura da cidade de Itaquaquecetuba, região metropolitana de São Paulo, anunciou que utilizará novo caminhão “Tempestade” para dispersar bailes nas periferias da cidade. De forma irônica, por utilizar jatos de água com alta pressão, o veículo carrega a frase "depois do Tempestade, vem a calmaria”.

Ambulantes do bairro da Liberdade, em São Paulo, enfrentam difíceis condições de trabalho

A luta dos ambulantes do bairro da Liberdade encontra paralelos em diversos lugares do Brasil. Na informalidade, trabalhadores sofrem com a precarização do trabalho e com a repressão do Estado.

PM-RJ prende camelô por criticar armamento da Guarda Municipal

O camelô André Constantine foi detido arbitrariamente por um policial militar ao criticar a violência da PM-RJ e da Guarda Municipal contra os trabalhadores ambulantes. 

Professor é afastado do colégio militar de Brasília após denunciar Polícia Militar

É preciso que se cobre uma resposta do Governo do Distrito Federal, pois não há espaço para a omissão ou posturas ambíguas perante o fascismo. Não podemos esquecer que o governo Bolsonaro é responsável por distorcer e criminalizar a liberdade de expressão, colocando o discurso de ódio e as fake news como liberdade de expressão e as falas em defesa da democracia como “ideológicas”, virando o bom senso de cabeça para baixo e reforçando a verdade da afirmação do professor afastado.

A resistência da população LGBT+ na Ditadura Militar

Face ao exposto, é necessário que a Comunidade LGBT+ esteja unida em defesa da sua expressão, liberdade e identidade, através da arte, da educação baseada nos Direitos Humanos, uma política de princípios para a conscientização e emancipação do povo e – o mais importante – do que nos une enquanto humanidade: a bondade, gentileza e o amor.

Por que a PM de São Paulo agrediu o ato antifascista?

Gregorio Gould Salvador As passeatas e carreatas organizados por fascistas em todo o país nos últimos meses não são reprimidas pelas polícias militares. A quadrilha dos...

Novidades