TwitterFacebookGoogle+

A infância de vida curta

É comum ouvir a frase que diz que as crianças são o futuro do país. Mas como um país pode mutilar o seu próprio futuro? Pois é o que faz qualquer nação quando nega aos seus meninos e meninas a educação, o direito a um sistema de saúde eficaz, o lazer e a possibilidade de usufruírem de uma convivência familiar. A verdade é que o trabalho infantil é predominante na atual conjuntura econômica. De forma disfarçada e maquiada pelos meios de comunicação, a cada dia milhares de crianças são cruelmente exploradas nas fazendas, sítios e granjas onde cerca de 36,5 % do trabalho é feito por menores de idade. Além disso, 24,5% da mão de obra irregular de crianças e adolescentes é utilizada em lojas e fábricas em pleno alvorecer do século 21.

Com isso, é nítido o descaso e o desrespeito à própria Constituição Brasileira, que reza: idade mínima de 16 anos para admissão ao trabalho, salvo na condição de aprendiz, a partir dos 14 anos. Além disso, o Brasil assumiu perante a comunidade internacional o compromisso de erradicar, até 2016, todas as formas de trabalho infantil. Mas, num país em que as leis não são cumpridas ou só valem a favor dos ricos e contra os pobres, esses itens não passam de textos vagos.

O que fazer então? Continuar olhando mudos e estáticos enquanto cada dia um exército de crianças são exploradas e têm suas vidas roubadas? É preciso muito mais que palavras e falsos sentimentos altruístas e fraternos vindos da elite capitalista. Não podemos ficar mais com a desculpa de que o Brasil, por ser um país subdesenvolvido, tem poucos recursos; o que há é o mau uso desses recursos, que são desviados no mar de corrupção e má gestão que são as marcas da grande maioria dos políticos tupiniquins.

Assim, chegamos a uma conclusão óbvia: negar às crianças uma vida digna é uma das piores maldades do sistema capitalista, da sociedade e dos governantes. Afinal, a questão do trabalho infantil deveria envolver a sociedade civil e o governo para cumprir a questão dos direitos humanos.

Mas aí se esbarra na questão, que é muito mais profunda do que  querem fazer pensar, pois está ligada à desigualdade social e, consequentemente, é resultado do sistema capitalista, que só visa ao lucro, não importando quanta injustiça e dor estão causando, mesmo que as principais vítimas sejam apenas crianças que deveriam estar na escola, vivendo as experiências que todas elas deveriam ter, com amor e uma vida digna. Afinal, aniquilar o futuro daqueles que deveriam ser protegidos é um dos piores atos de exploração do homem contra o próprio homem.

Lene Correia, militante do PCR

Fontes : 

  • INPETI : Instituto Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil
  • Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil
Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
1611
dsq_thread_id:
596105997

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações