TwitterFacebookGoogle+

Enchentes anuais do Espírito Santo: como fica o povo capixaba?

“Novembro de 2019 já trouxe também suas chuvas. As chuvas iniciaram na segunda semana do mês e já causaram muitos danos. Já temos um total de 1728 desalojados e 95 desabrigados.”

Carlos Fehlberg e Maria Gabriela Agapito


Chuvas de fim de ano voltam a atingir o Espírito Santo. Cidades organizam abrigos e ajuda emergencial, mas povo pobre sofre com perdas.

ESPÍRITO SANTO – Todos os anos o estado do Espírito Santo passa pelo drama das enchentes. O verão capixaba, marcado pelas praias lotadas na região metropolitana e nos balneários, fica sempre mais escuro com as chuvas que marcam o fim de ano. Tudo isso porque o Espírito Santo se localiza numa zona geográfica/geológica suscetível a isso e as políticas públicas de mitigação dos efeitos das grandes chuvas de fim de ano não são suficientes.

Em 2013 passamos pelas últimas grandes enchentes. Danos irreparáveis foram causados: casas e mobílias perdidas, cidades isoladas e muitas vítimas fatais. O poder público se mobilizou, ao lado da solidariedade do povo capixaba, na tentativa de reparar, mesmo que o mínimo dos danos causados por essa que foi a maior enchente em quase 35 anos.

O novembro de 2019 já trouxe também suas chuvas. As chuvas iniciaram na segunda semana do mês e já causaram muitos danos. Já temos um total de 1728 desalojados e 95 desabrigados. A diferença entre as duas categorias é que uma pessoa desalojada saiu de sua habitação em decorrência do desastre, porém recorrer a outras formas de habitação temporária (casa de parentes, amigos). Já um desabrigado não tem para onde ir, necessitando de abrigo provido pelo Estado. Além disso, já contamos com 10 feridos e 4 mortos pelas enchentes deste mês. Os números são atualizados pelo Corpo de Bombeiros a medida que pessoas conseguem ir para outras casas ou melhoram os ferimentos, por exemplo.

As cidades mais afetadas são Viana, Cariacica, Santa Leopoldina e Domingos Martins. Estas cidades já estão com uma estrutura de abrigos montada para receber desabrigados pelas chuvas. Confira os abrigos no final desta notícia.

Além das vítimas dessa chuva, podemos ter mais chuvas ainda em novembro e dezembro. Já precisamos estar preparados. A recomendação da Defensoria Pública do Espírito Santo é, ao ser atingido por um desastre, buscar emergencialmente a Defesa Civil e a Assistência Social em seu município. Só posteriormente buscar ressarcimentos, por exemplo. A manutenção da vida e da saúde deve ser a prioridade máxima nesses casos.

No intuito também de evitar danos maiores à vida, a Defesa Civil disponibiliza um sistema de alertas por SMS. Para cadastrar, o usuário deve enviar o CEP para 40199. Assim saberá dos alertas de chuvas intensas e outros possíveis desastres na região. A Defesa Civil também possui cartilhas disponíveis com orientações sobre como agir em certos casos de desastres.

A Defensoria Pública também, pensando nas chuvas que ainda podem vir esse ano e já em um trabalho perene de ação em desastres, vem planejando ações que visem atuações coletivas relacionadas a segurança, saúde e moradia, além da garantia de outros direitos em contextos de desastres. Um dos papéis da defensoria pública é a educação em direitos informando aos assistidos os direitos que possuem e tomando as medidas necessárias em caso de violações. Os núcleos de atendimento da Defensoria Pública podem fornecer informações sobre direitos relacionados a aluguel social e medidas assistenciais diversas, além de atender a casos de saúde e de pessoas Hipervulneráveis: tais como pessoas com deficiência física, idosos, crianças e adolescentes. De quaisquer formas, a Defensoria Pública do Espírito Santo está a serviço do povo, inclusive e especialmente durantes Desastres como as chuvas de fim de ano.

Informações Importantes das Chuvas

Corpo de Bombeiros

Telefone: 193

Abrigos

Cariacica: Igreja Batista, em Vila Rica; e Escola Estadual Teodomiro, em Novo Horizonte

Santa Leopoldina: Escola Estadual Alice Holzmeister, Escola Municipal Milton Cortelet, EMEF Milton Corteletti, Cento Comunitário de Barra do Mangaraí; Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro. Igreja Presbiteriana, em Retiro do Mangaraí.

Viana: CMEI Professora Biluca

Domingos Martins: Escola Municipal Santa Isabel

Defesa Civil

Tutorial do Sistema de Alertas

Orientações em caso de desastres

Boletim Diário da Defesa Civil

Defensoria Pública

Cariacica: Núcleo de Atendimento – Av. Getúlio Vargas, s/n, Campo Grande. CEP: 29146-070. Tel: (27) 3386-3015. Obs: próximo ao clube Brasileirão.

Santa Leopoldina: Atendimento no Fórum Municipal – Av. Presidente Vargas, 1559, Centro, Santa Leopoldina, ES. CEP: 29640-000. Tel: (27) 3266-1022.

Viana: Núcleo de Atendimento – Rua Major Domingos Vicente, 273, Centro, Viana, ES. CEP: 29.135-000 Tel: (27) 3255.1543.

Núcleo de Defesa Agrária e Moradia – NUDAM (atuação coletiva): Rua Pedro Palácios n. 60, Sala 103/104, Ed. João XXIII, Cidade Alta, Vitória, ES.

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações