UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 4 de outubro de 2022

A importância do Encontro latino-americano de sindicalistas

Com a participação de centenas de trabalhadores e trabalhadoras revolucionários, realizou-se com grande êxito o VIII Encontro Latino-Americano e Caribenho de Sindicalistas (ELACS) na República Dominicana. O principal objetivo do Encontro foi debater as consequências da crise do capitalismo sobre os trabalhadores e a necessidade de fortalecer e consolidar a ideologia revolucionária nos trabalhos dirigidos por sindicatos classistas.

Nesse sentido, resoluções importantes foram elaboradas para edificar a luta dos trabalhadores diante de mais uma crise do capital com as suas demissões em massa e a retirada dos direitos conquistados pelos trabalhadores, como aposentadoria, férias e salários dignos. Essas mazelas ocasionadas por esse sistema econômico injusto, em que impera esse modo de produção que se caracteriza por uma produção coletiva, mas com a sua apropriação individual, permeia e toma conta desse debate internacional, no qual várias línguas se unem para lutar e mudar a situação dessa sociedade desigual.

A delegação brasileira presente ao encontro, representada por companheiros do PCR e do MLC, demonstrou de forma firme e camarada a linha política defendida e fomentada nos diversos campos de trabalho, como na área sindical.

Uma iniciativa importante foi a realização de uma reunião com as mulheres presentes para debater a situação das trabalhadoras na sociedade. As diversas formas de repressão num sistema econômico em que a maioria da força de trabalho é de mulheres, mas que recebe por parte do mercado um tratamento discriminatório e injusto, pois ganha apenas  metade do salário pago aos homens embora desempenhando a mesma função. Outras questões foram discutidas como o assédio moral e a pressão da sociedade para que as mulheres sintam culpa por deixar a sua casa e os filhos para ir à rua trabalhar – ou seja, a luta para recuperar a autoestima diante de tanta pressão e desvalorização da parte dessa sociedade mesquinha e exploradora.

Também participamos de forma coesa das resoluções finais que, entre outras coisas, reafirmaram a necessidade de defender e consolidar os nossos trabalhos sindicais, em conformidade com a linha marxista-leninista, como a única solução para os diversos problemas e adversidades por que passam os povos.

O retorno de uma viagem desse porte significa a renovação da alma, a ratificação da opção ideológica, a disposição de jogar a mesquinhez no lixo e o pensar para frente; essa intensa e constante luta pela libertação dos nossos corações e mentes; e a junção da nossa alma e dos nossos punhos na construção de um novo homem, para uma nova vida coletiva.

Denise Maia, Rio de Janeiro

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes