UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 25 de setembro de 2022

Israel proíbe Nações Unidas de visitar colonatos israelitas na Cisjordânia

Colonatos israelitas na CisjordâniaO Estado de Israel anunciou que rompeu os contatos com o Conselho das Nações Unidas para os Direitos Humanos (CNUDH) para evitar uma inspecção internacional aos colonatos israelitas na Cisjordânia.

Em termos práticos, a decisão significa que uma missão de informação do CNUDH que deveria avaliar a situação no terreno não poderá deslocar-se à Cisjordânia e não terá entrada permitida em Israel. “Não colaboraremos com eles”, declarou Yigal Palmor, porta voz do Ministério israelita dos Negócios Estrangeiros. O presidente do CNUDH qualificou esta decisão como “lamentável”. De acordo com Palmor também não haverá mais discussões, participações em encontros e visitas organizadas a Israel realizadas através do Conselho das Nações Unidas para os Direitos Humanos.

Israel não pertence ao Conselho das Nações Unidas para os Direitos Humanos, mas pode participar em reuniões e usar da palavra dentro de condições estabelecidas. Os Estados Unidos foram o único país do Conselho a votar contra a deslocação de uma comissão para averiguar a realidade dos colonatos israelitas na Cisjordânia, o maior obstáculo ao chamado “processo de paz”.

No passado dia 22, o Conselho condenou a criação de novas habitações para colonos israelitas tanto na Cisjordânia como em Jerusalém Leste. O primeiro ministro israelita, Benjamin Netanyahu, qualificou esta decisão e a intenção de visitar os colonatos como “hipócrita”, uma vez que o Conselho dispõe de uma “maioria automática contra Israel” e “não tem nada a ver com os direitos humanos”.

Avigdor Lieberman, o ministro israelita dos Negócios Estrangeiros, conhecido pelas suas posições racistas e xenófobas, afirmou que “não seremos atores num teatro de absurdo porque 70 por cento das decisões deste Conselho são hostis a Israel”. Lieberman pediu aos “países livres”, a começar pelos Estados Unidos, “para se retirarem do Conselho”.

Fonte: Be Internacional

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes