UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 30 de junho de 2022

Estudantes fundam Diretório Acadêmico das Químicas em São Paulo

Diretório Acadêmico das Químicas da Faculdades Oswaldo Cruz, em São PauloEstudantes dos cursos de Química Bacharelado, Química Industrial e Licenciatura em Química das Faculdades Oswaldo Cruz, em São Paulo, fundaram em fevereiro deste ano o Diretório Acadêmico das Químicas.

O processo de fundação começou em novembro do ano passado, com as passagens em sala convocando os estudantes para participarem da diretoria e da assembléia de formação. Cerca de quarenta estudantes estiveram presentes na assembléia que empossou a diretoria que conta hoje com seis alunos destes cursos.

O motivo da mobilização dos estudantes para reviver o movimento estudantil na faculdade é o mesmo que acomete grande parte dos acadêmicos universitários brasileiros: a necessidade de se unir e lutar por melhorias na faculdade e no ensino, além de resgatar o caráter de formação social do estudante como cidadão.

No Brasil, cada vez mais o ensino é encarado como mercadoria. Com isso, cursos tradicionais perdem cada vez mais a sua qualidade e as faculdades tornam-se apenas produtoras de mão-de-obra para empresas e indústrias, deixando de lado o papel principal do ensino que é a evolução social e cognitiva do estudante.

Os estudantes das Faculdades Oswaldo Cruz se tornam, a cada dia, mais conscientes da necessidade de se unirem para garantir que uma das mais tradicionais instituições do país – com 98 anos de história – não traia seu passado de inovação (a faculdade surgiu a partir da escola técnica, onde se formou o primeiro curso de química industrial do Brasil) e não perca sua qualidade que garante há anos o status de melhor curso de farmácia e de ser uma das melhores e mais tradicionais faculdades na área química no país.

Com o DA das Químicas, os estudantes esperam obter mais força perante a diretoria para garantir seus direitos. Prova disso, foi o grande número de estudantes que procuraram a diretoria do DA para manifestar apoio e denunciar os problemas da faculdade como a ausência de uma quadra para prática de esportes e o baixo número de bolsas de estudo. Muitos professores também concederam apoio, mostrando o acerto em fundar o DA e reviver o movimento estudantil na faculdade, que já contou com diretórios acadêmicos que foram extintos após uma greve de estudantes e alunos, conforme relatou uma das professoras.

O próximo passo é mobilizar estudantes dos outros cursos para formar a comissão pro-DCE que garantirá a formação do Diretório Central dos Estudantes ampliando a luta para toda a faculdade.

Lucas Marcelino é militante da UJR e presidente do Diretório Acadêmico das Químicas das Faculdades Oswaldo Cruz.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes