UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 25 de setembro de 2022

Governo entrega dinheiro público para empresários e corta verbas da educação

Governo entrega dinheiro público a empresáriosNo início deste mês o governo federal convocou cerca de 200 empresários em Brasília para anunciar um pacote de ajuda para a indústria nacional, no total de R$60,4 bilhões. Esse pacote prevê corte nos impostos para os chamados industriais, diminuição dos juros para empréstimos do BNDES e desonerações pontuais para facilitar este mesmo crédito. O governo angariou elogios das entidades empresariais, ao mesmo tempo que recebeu cobranças de mais “incentivos” dos ávidos burgueses: “São medidas positivas? São. Não me decepcionam, mas também não me impressionam.” disse Paulo Skaf, presidente da FIESP.

Há cerca de dois meses o mesmo governo anunciou cortes de R$ 2 bilhões no orçamento da Educação e de R$ 5 bilhões na Saúde. Para realizar estes cortes, o governo alegou falta de recursos. Ora, se estava faltando dinheiro para saúde e a educação, como se tem R$ 60,4 bilhões para os pobres industriais?

A questão é que todos os anos o governo corta bilhões dos investimentos sociais (educação, saúde, C&T e habitação) para destinar quase metade do orçamento para pagar juros e amortizações da dívida pública e manter a política de superávit primário, recomendada pelo FMI (Fundo Monetário Internacional). Só no ano de 2012 o governo pretende gastar R$ 665 bilhões com o “refinanciamento” da dívida pública. Portanto, para banqueiros e industriais o dinheiro sobra.

Alguns defensores dessa política do governo falam que investir no capital industrial é combater a financeirização da economia. Afinal, os bancos levam a maioria dos recursos do Orçamento federal todos os anos, dizem. Em 2012, garantiram 49,9%. Mas será que existe uma grande contradição esses dois setores capitalistas?

Vejamos: os irmãos Joseph e Moise Safra são conhecidos por serem donos do sexto maior banco brasileiro, o Banco Safra, por isso, são vilões do capital especulativo. Mas ao mesmo tempo, esses dois senhores são também grandes acionistas da Aracruz Celulose S.A. Produtora de papel e responsável por desmatamentos, e por isso são heróis da indústria nacional. Jorge Paulo Lemann, um conhecido banqueiro brasileiro, fundador do Banco Garantia e do Banco GP Investimentos, é também sócio da Tenda Construções e Ferrovia Centro Atlântica. O que falar então de Antônio Ermínio de Moraes? Dono do Grupo Votorantim, que é composto por fábricas de cimento, de Alumínio, e dono do Banco Votorantim? E o que dizer sobre o Bradesco ser um dos acionistas da Vale do Rio Doce?

Poderíamos dar inúmeros outros exemplos, mas estes são suficientes para demonstrar o que o capital industrial brasileiro está profundamente ligado ao capital financeiro.

O fato é que vivemos numa crise econômica que aprofunda as desigualdades sociais e destrói milhões de postos de trabalho no mundo inteiro. Em resposta a isso, a classe trabalhadora vai à luta, como é o caso da construção da Hidroelétrica de Jirau, que já enfrenta sua quinta greve desde o início das obras.

Os governos tem que tomar um lado. Taxar as grandes fortunas, limitar as remessas de lucros ao exterior, congelar preços e aumentar salários são apenas algumas das medidas que um governo com compromisso com o povo deveria adotar. Em resumo, para termos verdadeiramente uma sociedade justa e uma vida digna para todos, só acabando com o capitalismo e construindo uma sociedade onde a economia esteja a favor da vida das pessoas, e não do lucro de poucos: uma sociedade socialista.

Yuri Pires é vice-presidente da UNE e militante da UJR

Outros Artigos

1 COMENTÁRIO

  1.  

    Pesquisem sobre a empresa FSB comunicações no ministério do
    esporte, um contrato astronômico e uma empresa que contrata funcionários que
    prestavam serviço no próprio ministério do esporte com salários maiores para
    fazer o serviço burocrático da empresa 
    em seu próprio favor eu tentei ser contratada por esta empresa enviei
    currículo estou muito para ser uma jornalista e estou decepcionada em saber que
    pessoas do ministério do esporte são contratadas apenas por indicação de
    membros da própria empresa FSB mas um dia ela será desmascarada quem sabe após
    a copa 2014 ou olimpíada 2016 uma empresa que não soube defender os interesses
    do ME .

     

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes