UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 29 de setembro de 2022

As FARC “me trataram muito bem”, afirma jornalista libertado

As FARC "me trataram muito bem", afirma refém libertadoO jornalista francês Romeo Langlois revelou que foi “tratado muito bem” durante os 33 dias em que foi feito refém num cativeiro das FARC.

“Eu sempre soube que seria libertado rapidamente”, disse o repórter francês de 24 anos em uma conferência de imprensa em Bogotá. “Fui tratado muito bem e recebi desculpas dos guerrilheiros por ter sido declarado um prisioneiro de guerra. Isso foi muito importante para mim.”

O maior grupo guerrilheiro da América Latina declarou Langlois um prisioneiro de guerra logo após sua captura no dia 28 de abril, pois o repórter usava um uniforme militar quando a unidade que acompanhava caiu sob fogo das FARC, sendo então ferido no braço.

“Foi um sequestro muito tranquilo”, o jornalista revelou. “Muitas pessoas não tem a mesma sorte”.

Langlois aparenta gozar de boa saúde, apesar do seu ferimento. “[O ferimento] tem cerca de 25 cm. Eles disseram que o osso não foi atingido e que a recuperação foi muito boa”, afirmou.

Leia também
[intlink id=”1790″ type=”post” target=”_blank”]Novo livro sobre as FARC-EP desfaz mitos sobre a guerrilha[/intlink]
[intlink id=”125″ type=”post” target=”_blank”]As Farc não serão e não podem ser derrotadas, afirma sociólogo[/intlink]

As FARC entregaram uma carta a Langlois para ser entregue ao novo presidente francês, François Hollande, a qual convoca os “países amigos” a ajudar nas negociações entre o grupo e o governo colombiano.

O ex-presidente Alvaro Uribe, através de sua conta no Twitter, atacou o jornalista, dizendo que ele estava tendo “simpatias” com as FARC. “Uma coisa é ser jornalista, outra é se identificar com terroristas”, escreveu o ex-narco-presidente.

Glauber Ataide

Outros Artigos

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes