UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quarta-feira, 28 de setembro de 2022

Sérgio Miranda: um homem com princípios

Sérgio MirandaFaleceu na segunda-feira, dia 26, com câncer nos pâncreas, aos 65 anos, o ex-deputado comunista Sérgio Miranda. Sérgio foi vereador de Belo Horizonte entre 1988 e 1992 e exerceu quatro mandatos de deputado federal.

Começou sua militância aos 15 anos no movimento estudantil secundarista de Fortaleza. Já militante do PCdoB, representou os estudantes universitários do Ceará no Congresso de Ibiúna, quando foi preso. Em seguida, foi arbitrariamente expulso da Universidade Federal do Ceará (UFC), onde cursava matemática.

Ao assumir o mandato de deputado federal Sérgio Miranda tornou-se um dos deputados mais atuantes da Câmara. Estudioso, sério e honesto, Sérgio era uma referência para os deputados mais novos que o consultavam antes de uma votação importante. Fez da Câmara uma trincheira de luta pelos direitos dos trabalhadores, contra o pagamentos dos juros extorsivos da dívida  pública, em defesa da soberania nacional e contra as privatizações do governo FHC. Também foi um dos primeiros a lutar pela implementação do software livre no Brasil e combater o monopólio da norte-americana Microsoft.

Homem firme e de princípios, preferiu em 2005 sair do PCdoB a votar na reforma previdenciária que eliminava direitos dos trabalhadores.  Em 2010, foi candidato a deputado federal em Minas Gerais com o apoio do Partido Comunista Revolucionário (PCR), das Brigadas Populares e da Refundação Comunista. Apesar de ter obtido uma grande votação, mais de 55 mil votos, não conseguiu ser eleito.

Lídice da Mata, senadora do PSB da Bahia, resumiu assim como seus amigos o viam: “Sérgio destacou-se por sua coragem no tempo da ditadura, mas também pela doçura e solidariedade com que tratava seus companheiros”.

Corajoso, enfrentou a ditadura diversas vezes e dedicou sua vida à causa do socialismo. Seu exemplo de que é possível enfrentar os poderosos e manter os princípios em qualquer situação fica para as novas gerações.

Da Redação

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes