UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quarta-feira, 7 de dezembro de 2022

Resolução da CIPOML sobre a situação da Síria

Resolução da CIPOML sobre a situação da SíriaA plenária da CIPOML, celebrada pela primeira vez na África, reafirma seu apoio ao direito do povo sírio a viver em um regime democrático. Um regime que lhe garanta a liberdade, a igualdade, a justiça social e a dignidade, assim como assegure ao país a unidade e total independência, incluída a recuperação das Colinas de Golan, ocupadas desde 1967 pelo sionismo.

A CIPOML:

1 – Denuncia o perigoso desenvolvimento dos acontecimentos na Síria. O movimento popular de protesto se transformou numa guerra civil destruidora. A repressão sanguinária golpeia o povo e, desde o princípio, o regime de Asad rechaça qualquer reforma democrática que satisfaça as aspirações do povo sírio. Esta situação tem como consequência a intervenção exterior reacionária, imperialista e sionista, através da Turquia, do Catar e da Arábia Saudita, que é encoberta pelo pretenso “Exército Livre” e o pretexto de “salvar o povo sírio”.

2 – Reafirmamos que esta guerra não tem nada a ver com os interesses do povo sírio e suas aspirações. Ao contrário, serve às forças reacionárias do país, da região e internacionais. A Síria é atualmente lugar de confrontação entre, de um lado, os EUA, França e Israel e a reação árabe e turca que tratam de submeter a Síria ao domínio ocidental e levá-la a romper seus laços com o Irã e o Hezbolá; e de outro lado, Rússia e China que apóiam o regime para preservar seus interesses estratégicos na Síria e região, depois de haver perdido sua influência na Líbia.

3 – Rechaça toda intervenção da OTAN na Síria sob qualquer pretexto, dado os perigos que ela representa para o povo sírio, os povos da região e a paz mundial em geral. A Conferência chama o povo turco a opor-se à intervenção da Turquia na Síria. Lança um chamamento aos trabalhadores e povos dos países ocidentais, em primeiro lugar aos Estados Unidos, Grã Bretanha e França, cujos dirigentes proferem ameaças de intervenção militar na Síria, para que pressionem a seus governos para impedi-los de levar adiante sua criminosa estratégia que no passado provocou os desastres do Iraque, Afeganistão, Somália, Líbia…

4 – É ao povo sírio a quem compete em todos os casos, decidir sobre seu futuro. A CIPOML chama as forças patrióticas e democráticas sírias a se unir para salvar seu país das garras do regime de Asad e dos bandos armados e impedir as potências estrangeiras hipotecar seu futuro e instrumentalizar uma parte de sua minoria para minar sua unidade. A CIPOML chama essas forças a empenhar-se a construir uma nova Síria, democrática, laica, independente e unida, na qual coabitem as diferentes religiões e nacionalidades em liberdade e igualdade.

5 – Chama as forças patrióticas, democráticas e progressistas da região a mobilizar-se urgentemente e a empreender as medidas solidárias necessárias para apoiar as forças patrióticas e democráticas da Síria; forças que devem atuar para acabar com as matanças perpetradas contra o povo sírio, deter a destruição do país e impedir a intervenção estrangeira, facilitar o diálogo entre seus habitantes para conquistar suas aspirações e a ruptura com a tirania e a dominação estrangeira.

Conferência Internacional de Partidos e Organizações Marxista-Leninistas (CIPOML)

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes