UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sexta-feira, 2 de dezembro de 2022

Comissão da Verdade da Uespe ouve depoimentos

Comissão da Verdade da UESPEA Comissão da Verdade da União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco (Uespe), instalada em 28 de maio de 2013 para apurar os crimes cometidos pela Ditadura Militar contra os estudantes secundaristas, entrevistou o Dr. Oswaldo de Oliveira Coelho Filho, advogado e presidente da Caixa de Assistência dos Advogados da OAB-PA.

Oswaldo esteve presente na manifestação estudantil realizada em 1º de abril de 1964, no Recife, contra o golpe que implantou a Ditadura. Naquela ocasião, os estudantes seguiram em passeata rumo ao palácio do Campo das Princesas, sede do Governo do Estado, para defenderem a validade do mandato do governador Miguel Arraes contra os golpistas.

Segundo Dr. Oswaldo, “o Exército começou com disparos para o alto, em seguida baixou o alvo. Nisso, atingiu Jonas no rosto. Os estilhaços dos ossos caíram sobre mim e muito sangue, muito sangue, ao ponto de minha roupa ficar toda molhada do sangue de Jonas. Jonas morreu nos meus braços”.

Jonas José de Albuquerque, era estudante secundarista do Ginásio Pernambucano, integrava a célula do Partido Comunista daquele ginásio. Fundou a Associação Literária Machado de Assis (Alma) e, no momento de seu assassinato, segurava a bandeira do Brasil ao lado de Ivan da Rocha Aguiar, recém aprovado para a Escola de Engenharia, também atingido naquela ocasião, vindo a falecer enquanto era socorrido.

O depoimento foi acompanhado por representantes dos grêmios e entidades estudantis, além de ex-presidentes da Uespe e da Ares. Estiveram presentes ainda o vereador de Olinda pelo Partido dos Trabalhadores Marcelo Santa Cruz, irmão do desaparecido político Fernando Santa Cruz; Adelson Borba, ex-presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), gestão 1978; Jucemário Dantas, ex-presidente do Diretório Acadêmico de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal de Pernambuco, gestão 1976; Augusto de Albuquerque, irmão de Jonas José de Albuquerque; e Amparo Araújo, do Movimento Tortura Nunca Mais de Pernmabuco.

Augusto de Albuquerque relatou emocionado os fatos que decorreram do assassinato de seu irmão. “Meu pai foi para o quintal com um revolver. Colocou a arma na cabeça, mas, felizmente, estava sem balas. Ele tentou se matar porque não suportava o que aconteceu com Jonas. Ele ficou muito abalado”, declarou.

Na mesa, Edival Cajá, presidente do Centro Cultural Manoel Lisboa e membro do Partido Comunista Revolucionário, saudou a iniciativa da Uespe pela criação da sua comissão da verdade; e, Marcus Vinícius, presidente do DCE da Unicap e secretário Geral da União dos Estudantes de Pernambuco (UEP) ajudou na coordenação do evento.

“A comissão irá ouvir outras testemunhas e vítimas. Ao final dos trabalhos, irá apresentar relatório e petição para que as comissões da Verdade Nacional e Estadual apurem os crimes investigados”, declarou o presidente da Uespe, Davi Lira, encerrando as atividades do dia.União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco Criou no dia 21 de junho de 2013, a comissão da Verdade para apurar os assassinatos dos estudantes Jonas José e Ivan Aguiar pela ditadura militar. O objetivo é reunir dados para auxiliar a comissão estadual. O evento contou com dezenas de jovens, ex presidentes da UESPE do vereador Marcelo Santa Cruz, Movimento Tortura Nunca Mais e do Irmão de Jonas.

Thiago Santos, Recife

Artigo anterior
Próximo artigo

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes