UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 3 de julho de 2022

Carta do EPL da Colômbia pela efetiva negociação de paz

epl_soldier

Carta do Exército Popular de Libertação (EPL) – Clamor pela Paz

Colômbia, Julho de 2014

Organizações e pessoas

Processo “Clamor pela Paz”

Germán Roncancio, Rota Social pela paz.

Luis Guillermo Pérez, Coletivo de Advogados “José Alvear Restrepo”.

Luis Sandoval, Redepaz.

Omar Fernández, Comosoc.

Y demais integrantes.

E. S. M.

Saudações fraternas e patrióticas

Compartilhamos o ânimo derivado d abertura da fase exploratória para os diálogos do governo com o Exército de Libertação Nacional (ELN). É um logro da persistência dos elenos e uma conquista dos setores sociais e políticos que pressionam e se esforçam por defender os direitos humanos.

Acreditamos que com esforço e ação política também se concretizará a abertura de diálogos com o EPL, para não dar espaço à ideia que, desde o Estado, se aplica uma estratégia de oposição à saída política ao conflito ao transformar o diálogo com partes da insurgência em um salvo conduto para impôr essas conclusões parciais ao resto das guerrilhas utilizando bombas e baionetas, perseguições, assassinatos e detenções, quando realmente o único que tem poder decisório é o povo e deve contar com as mais amplas e completas informações para debater e decidir.

Consideramos que podemos coincidir na decisão de exigir do Presidente Juan Manuel Santos o cumprimento do compromisso com a paz e justiça social proclamado no dia 15 de junho ante a pressão de muitos eleitores que votaram por Juan Manuel desesperados por lograr a paz, assim como em consignas e vozes pela paz de muitíssimos milhões de colombianos que, aspirando a contar com um país em paz, mas com outra visão de como alcançá-la, votaram em branco ou nulo, ou se abstiveram de chegar às urnas.

Destacamos a importância de seus esforços unitários pela paz desde o perfil social de suas atividades, algumas de larga trajetória e reconhecimento internacional. Esperamos que as sigam desenvolvendo com independência e autonomia frente ao Estado e às forças que o sustentam para fortalecer sua autoridade frente a Colômbia e a comunidade mundial de nações e povos.

Insistiremos junto a vocês no clamor popular por um imediato cessar-fogo bilateral e a aplicação cabal do Direito Internacional Humanitário, para deter de imediato a sangria e abrir credibilidade a uma agenda comum pela paz que não se circunscreva aos diálogos governo-guerrilha.

Confiamos em seguir coincidindo com vocês nos esforços para fazer com que os diálogos com toda a insurgência se converta em uma realidade convergente que ajude a canalizar todos os aportes surgidos desde o seio popular para lograr uma ideia de paz que necessitamos e os passos para alcançá-las, que conte com ampla aceitação e assim lograr a convocatória democrática de uma Assembleia Nacional Constituinte que plasme aos derrotistas do futuro país e permita suprimir as especulações sobre o ‘pós-conflito’.

Não sendo outras as motivações destas linhas, nos despedimos abrigando o desejo de estabelecer um diálogo estável e fluído com ‘Clamor pela Paz’ para manter uma iniciativa pela paz que cresça como um CLAMOR ORGANIZADO dos diferentes setores do campo popular.

Êxitos em suas tarefas pela paz com justiça social.

Comitê Executivo Central

Partido Comunista da Colombia (marxista-leninista)

Mando Central

Ejército Popular de Libertação – EPL 

Com cópia:

– Estado Maior Central das FARC-EP

– Comando Central do ELN

– Governo Nacional da Colômbia

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes