UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 25 de setembro de 2022

Empresário vira bilionário comercializando Educação

JanguiaO empresário José Janguiê Bezerra Diniz, 49 anos, natural da cidade de Santana dos Garrotes-PB, entrou para a seleta lista de bilionários da revista Forbes. Como fundador e principal acionista do grupo Ser Educacional, o bilionário acumula patrimônio líquido estimado em US$ 1,1 bilhão (mais de R$ 2 bilhões). O grupo de Janguiê administra 23 unidades de ensino em 17 cidades de 12 estados do Norte e Nordeste, com os nomes de Centro Universitário Maurício de Nassau e Faculdade Joaquim Nabuco.

O enriquecimento de José Janguiê é questionável. O empresário, que até agosto de 2013, também era procurador do trabalho do Ministério Público, foi denunciado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNPM), acusado de utilizar o cargo público como “blindagem” de seus interesses empresariais, sendo instrumento para “abrir portas” no mercado para crescer sua riqueza. O relatório do CNMP aponta que em 100 dias, o “empresário procurador” compareceu apenas oito vezes na Procuradoria do Trabalho, além de ser anticonstitucional um procurador exercer funções empresariais. Antes que a Procuradoria Geral da República pudesse analisar o seu caso, Janguiê pediu exoneração do cargo no mesmo mês da acusação.

Esse fato demonstra o grau de privatização do ensino superior brasileiro, que virou um valioso produto no mercado, reforçado por políticas de incentivos por parte do Governo Federal. O último censo do ensino superior brasileiro diz que o país tem 304 instituições públicas de ensino superior contra 2.112 instituições privadas, ou seja, existe 7 vezes mais faculdade privadas que públicas. Também de acordo com o censo, de 1980 a 2012, a quantidade de estabelecimentos privados cresceu 4,4 vezes mais que a quantidade de estabelecimentos públicos. De todo o povo brasileiro, apenas 3,5% está matriculado em algum curso de graduação. Destes, 82,5% estão no ensino privado.

Pode-se dizer que o principal desafio do ensino superior brasileiro ainda é fazer com que ele seja público em sua totalidade, como garantia de um direito fundamental à todo cidadão. Enquanto as autoridades não investirem com prioridade na Educação pública, começando por investir 10% do PIB, o Brasil continuará a ter crianças nas ruas e adultos sem acesso à ciência.

Bruno de Melo-PE

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes