UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 29 de novembro de 2022

Índia: 150 milhões de trabalhadores participam de greve geral

india1_0150 milhões de trabalhadores – principalmente dos bancos públicos, indústria, construção civil, mineração e transportes, realizaram nesta quarta-feira na Índia uma greve geral de um dia contra a política econômica do governo do primeiro-ministro Narendra Modi, do partido de direita BharatiyaJanata (BJP). O protesto, possivelmente o maior da história da Índia, foi convocado por 10 das maiores centrais sindicais do país, e reivindica que o governo abandone o projeto de vender as ações das empresas estatais e de mudar a legislação trabalhista.

Um grande número de escolas e negócios também foram fechados nos estados de Kerala e Bengala Ocidental, onde os sindicatos contam com grande adesão. Com a interrupção do transporte público, passageiros se aglomeraram nas estações de trem e aeroportos.

Narendra Modi foi eleito em maio de 2014 com a promessa de reformar o mercado de trabalho para incentivar os investimentos estrangeiros e dinamizar a terceira maior economia asiática. Mas o caminho encontrado pelo governo tem sido a precarização das relações de trabalho e a privatização das empresas públicas.

Dentro da pauta de reivindicações dos trabalhadores podemos destacar:

  1. Medidas urgentes para conter a subida de preços através da universalização do sistema público de distribuição e o fim da especulação no mercado de commodities;
  2. Contenção do desemprego através de medidas concretas de geração de emprego;
  3. Aplicação estrita de todas as leis trabalhistas básicas sem exceção e punições rigorosas contra a violação das leis trabalhistas;
  4. Cobertura de seguridade social universal para todos os trabalhadores;
  5. Salário mínimo de 15000 rúpias por mês (cerca de R$ 750);
  6. Fim das contratações temporárias e das terceirizações; salários e benefícios iguais para trabalho igual;
  7. Fim dos desinvestimentos e privatizações no setor público;
  8. Retirada das emendas à legislação trabalhista, que retiram direitos dos trabalhadores.

Clodoaldo Gomes, da Redação

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes