UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 2 de julho de 2022

Trabalhadores urbanitários aprovam plano de lutas contra onda de privatizações no país

Wilton Maia, presidente do Stiupb
Wilton Maia, presidente do Stiupb

Com o lema “Nenhum direito a menos. Em defesa da democracia. Fortalecimento do Ramo Urbanitário” ocorreram entre os dias 10 e 14 de agosto, na cidade de Florianópolis, o 20° Congresso da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU) e o 1º Congresso da Confederação Nacional dos Urbanitários (CNU).

Abordando temas relacionados à categoria urbanitária e à realidade política do país os dois eventos contaram com a presença de centenas de delegados e convidados de movimentos sociais como o Movimento de Atingidos por Barragens (MAB), o Movimento dos trabalhadores sem Terra (MST) e a CUT.

Uma das mesas de debate que ocupou destaque no congresso abordou o tema “Garantir o Saneamento e a Sustentabilidade Ambiental como Direito”. Nele, o Dr. Luiz Roberto Moraes (Professor da UFBA), Fabio Giori e Pedro Romildo (ambos diretores da FNU) e Edson Aparecido da Silva (Coordenador da Frente Nacional Saneamento Ambiental – FNSA), abordaram a questão das Parcerias Público Privada que tem representado a privatização na área em todo o país. Para o Professor Luiz Roberto “Há um conflito de interesses entre o público e o privado, e não podem caminhar juntos. As PPP`s são uma prova disso”.  Para ele a interferência do capital privado fica muito clara também na questão dos resíduos sólidos, onde não interessa aos empresários a aplicação da Lei, que foi uma conquista da sociedade; o que vale é a produção em massa e o lucro.

A ameaça de privatizações também ocupou a discussão no tema sobre o setor elétrico, ficando evidente que para barrar a sanha privatista será necessário envolver o conjunto da sociedade, os movimentos sociais e outras organizações. Os sindicatos sozinhos não conseguirão essa conquista. É preciso a unidade do povo para avançar.

O Movimento Luta de Classes esteve presente nos dois congressos, sendo representados por Wilton Maia e Adriano Teixeira, presidente e vice-presidente do Sindicato dos Urbanitários da Paraíba (STIUPB), respectivamente.

No último dia do congresso (dia 14) ocorreu a eleição para diretoria da CNU, tendo sido aprovado o plano de lutas para a categoria urbanitária. Para Wilton Maia, eleito para a comissão política da entidade, diante da realidade de sérios ataques aos direitos dos trabalhadores “sem uma forte aliança entre os trabalhadores da cidade e do campo, em diálogo contínuo com o povo, não teremos grandes avanços, pois, só a organização popular colocará nossa agenda política na ordem do dia dos governantes”.

Para Paulo de Tarso, diretor do SINERGIA-BA, eleito para a presidência da CNU, “muitos desafios estão colocados para a CNU. Precisamos lutar contra as privatizações das distribuidoras de energia da Eletrobras, assim como é fundamental criar um coletivo de jovens para aumentar ainda mais as nossas bases”.

Da Redação

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes