UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 5 de julho de 2022

Sindicalistas alagoanos lutam pela aposentadoria

A reunião do fórum foi convocada pela Ordem dos Advogados

WhatsApp Image 2017-02-20 at 19.31.11 (2)Foi realizada, no último dia 20, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Alagoas, mais uma reunião de sindicalistas convocados pela OAB para organizar o Fórum em Defesa da Aposentadoria. Participaram cerca de 50 representantes de várias entidades, que se comprometeram em mobilizar as bases para lutar contra o verdadeiro genocídio que a 287/2016 representa, não só por tirar o direito de aposentadoria de milhares de brasileiros, mas também por ameaçar toda a política de Previdência Social, que garante direitos como licença-maternidade, aposentadoria por invalidez, auxílio doença, entre outros.

Em todas as avaliações feitas durante a reunião, os integrantes da OAB e os sindicalistas consideraram os riscos sociais da aprovação desta lei, que vai atingir não somente os beneficiários, mas também o comércio de pequenas cidades, onde a contribuição dos pensionistas e aposentados chega a representar um fluxo financeiro maior do que a Fundo de Participação dos Municípios (FPM) representando um impulso fundamental para a economia local.

A posição colocada pela OAB-Alagoas seguiu o posicionamento nacional assumido pela Ordem contra a Reforma da Previdência. “A PEC 287/2016 tem sido apresentada pelo governo sob discurso de catástrofe financeira e “déficit”, que não existem, evidenciando-se grave descumprimento aos artigos 194 e 195 da Constituição Federal, que insere a Previdência no sistema de Seguridade Social, juntamente com as áreas da Saúde e Assistência Social, sistema que tem sido, ao longo dos anos, altamente superavitário em dezenas de bilhões de reais”, denuncia a carta.

Os sindicalistas aprovaram a participação geral em manifestações na capital e também foram sugeridas caravanas ao interior do Estado e outros atos de protesto que serão organizados conjuntamente. “Esse é um momento de superarmos as divergências e unirmos forças em defesa dos direitos do povo brasileiro que estão sendo duramente atacados por essa elite golpista e reacionária que está no Governo e tem maioria no Congresso”, declarou Magno Francisco, que participou da reunião representando o Movimento Luta de Classes (MLC).

A primeira mobilização para protestar contra os ataques à Previdência Social será no dia 08 de março – Dia Internacional da Mulher. “Será importante a participação de todas e também dos companheiros nesse ato, já que uma das grandes injustiças dessa reforma em debate no Congresso é a de igualar o tempo de aposentadoria entre homens e mulheres, desconsiderando a dupla e tripla jornada de trabalho a que as mulheres são submetidas, porque sobre elas recaí o acúmulo de responsabilidades no cuidado dos filhos, na rotina de tarefas domésticas e na manutenção econômica da família”, destacou Lenilda Luna, militante do Movimento de Mulheres Olga Benario.

Redação Alagoas

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes