UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 3 de julho de 2022

Juventude Rebele-se comparece à 11ª Conferência Nacional de Assistência Social

Durante os dias 5 e 8 de dezembro de 2017, aconteceu na cidade de Brasília (DF), a 11ª Conferência Nacional de Assistência Social, cuja principal pauta foi a luta pela garantia de direitos e o fortalecimento do SUAS (Sistema Único de Assistência Social).

A Conferência foi dividida em quatro eixos, contando com cerca de 1.400 delegados de todo o Brasil, entre eles Hevil Denis e Julia Paes representantes de Pernambuco, militantes da Rebele-se e da Uespe. “Acredito que seja um espaço vital para nós, usuários do SUAS, ocuparmos e podermos levantar discussões cabíveis  em nosso cotidiano para assim pleitear uma assistência social digna”, declarou Denis, que é atualmente presidente da Associação dos Estudantes Secundaristas de Carpina.

Num cenário em que o golpista Michel Temer propõe um corte de 98,05% no orçamentário para o SUAS e retiradas de tantos outros direitos, faz-se necessário uma luta para a manutenção da assistência social. Nesse sentido foi aprovada no ato em defesa da LOAS e PNAS no dia 7 de dezembro de 2017 uma carta em defesa da política pública de assistência social.

“…Neste momento de defesa do SUAS, chamamos a atenção de gestores públicos e legisladores para que possamos avançar na consolidação de estratégias que amplifiquem os debates e as proposituras para a consolidação legal de direitos sócio assistenciais, da gestão descentralizada e do fortalecimento da participação da sociedade civil em instâncias de controle social”.

Um corte dessa proporção significa colocar no mapa da fome vários brasileiros que dependem do SUAS e também ocasionar o fechamento de vários Centros de Referência de Assistência Social e Centros de Referência Especializados de Assistência Social. Os principais prejudicados serão os LGBT’s, a população negra, as mães solo e tantos que dependem do sistema, não podendo assim deixar passar em branco esse golpe contra o povo brasileiro.

Afinal de nada adianta lutarmos por direitos conquistados se não lutarmos para mudar esse sistema econômico que nos coloca cada vez mais em situações degradantes, que nos oprime e nos explora sem nenhum limite. Precisamos construir uma sociedade nova sem miséria e sem a fome, e para isso precisamos defender a Assistência Social e, acima de tudo, precisamos defender um pais socialista.

UJR Carpina, Pernambuco

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes