UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 25 de junho de 2022

Operadores de Telemarketing impedem calote de empresários

Cerca de 1.200 trabalhadores da empresa de telemarketing Teleinformações, situada no Recife-PE (prestadora de serviços da Telefônica/Vivo), depois de um mês de incertezas e sem receber seus salários, finalmente puderam dar baixa nas suas carteiras de trabalho e ingressarem com ações na Justiça para receber verbas rescisórias, seguro desemprego e sacar o FGTS devido. A rescisão dos contratos teve início no dia 29 de janeiro na sede do Sintelmarketing-PE.

Acontece que a prestadora de serviço vinha atrasando pagamento de salários e comissões, o vale-refeição e o vale-transporte, além de não depositar o INSS e FGTS de seus funcionários conforme manda a lei. Em resposta, os trabalhadores deflagraram uma greve e realizaram várias mobilizações organizadas pelo Sintelmarketing-PE. Finalmente, em dezembro, a Telefônica/Vivo anunciou que não renovaria o contrato com a terceirizada, o que deu início ao dilema dos empregados: a empresa encerrou as atividades, deixou de pagar o que devia aos funcionários e sequer deu baixa nas carteiras.

Atuando prontamente em defesa dos funcionários, os advogados do sindicato ingressaram com ação na Justiça do Trabalho e conseguiram bloquear as faturas que a Teleinformações esperava receber da Vivo a fim de que esse dinheiro fosse utilizado para o pagamento das verbas trabalhistas devidas.

No dia 29 de janeiro, o Sintelmarketing-PE conseguiu mais uma conquista: dar baixa nas carteiras de trabalho, inclusive, garantindo que a data final do contrato refletisse o dia da baixa nas carteiras, preservando o direito dos funcionários de receberem pelos dias parados no mês de janeiro.

Além de defender os direitos dos funcionários, a ação do Sintelmarketing-PE deu um passo importante no reconhecimento da entidade, tendo em vista a disputa pela representação travada com o Sinttel-PE (sindicato dos trabalhadores em telecomunicações). A esse respeito, declarou a ex-funcionária Estefane da Silva: “quando eu procurei o Sinttel, me trataram muito mal e ainda disseram que se eu quisesse receber ao menos metade do valor teria que entrar em acordo imediatamente com a Vivo. Graças ao Sintelmarketing, conseguimos dar baixa nas carteiras e vamos brigar para receber tudo o que temos direito na Justiça, além de podermos receber o seguro desemprego”.

O Sintelmarketing-PE vai seguir lutando, pois, o mais importante é o reconhecimento que vem dos trabalhadores fruto da luta sem conciliação contra os patrões, independente de recebermos ou não o registro do Ministério do Trabalho.

Thiago Santos é presidente do Sintelmarketing-PE

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes