UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 7 de julho de 2022

Moro atua em um partido, o partido do imperialismo estadunidense

Na próxima semana Moro irá ao senado para ser sabatinado e prestar esclarecimentos sobre suas relações enquanto juiz da operação lava jato. A ação demonstrou-se completamente fraudulenta, um verdadeiro conluio para manipular as eleições brasileiras. Os juízes combinavam quem iriam perseguir, montavam provas e vazavam para a mídia desgastar os adversários. Eram um verdadeiro partido político, traiçoeiro, que atuava e atua na escuridão. Por isso a operação lava jato não prendeu Aécio Neves e nenhum corrupto do PSDB, nem do DEM.

Depois dos vazamentos conseguidos pelo jornal Intercept, ficou claro o conluio. Em uma falas de Dalagnol no grupo do Telegram dos procuradores, afirma: “Falarão que estamos acusando com base em notícia de jornal e indícios frágeis… Então, é um item que é bom que esteja bem amarrado. Fora esse item, até agora tenho receio da ligação entre Petrobras e o enriquecimento, e depois que me falaram tô com receio da história do apto… são pontos em que temos que ter as respostas ajustadas e na ponta da língua”. Mostra que buscavam fabricar provas e não produzir uma investigação científica e imparcial como deveria ser.

Moro é muito bem articulado e orientado pelo Departamento de Estado dos EUA que interfere de maneira neocolonialista no Brasil, aliciando e corrompendo a justiça, o legislativo e o executivo.

O Intercept divulgou uma verdade que o povo brasileiro e o mundo tinha o direito de saber, defendendo a democracia que foi usurpada por um poder paralelo instalado em Curitiba. Agora Moro é o réu e deve ser investigado e punido exemplarmente. Ou o senado toma uma atitude ou o povo irá as ruas para derrubar Moro e o governo de Bolsonaro e dos banqueiros.
Sem dúvida a eleição brasileira foi fraudulenta, manipulada e portanto roubada dos brasileiros. Realizaram uma verdadeira guerra midiática, com vazamentos, monitoramento e utilização das redes sociais controladas fora do país para manipular a “democracia”. Isso não é democracia, é golpe!
Por isso defendemos fora Moro e fora Bolsonaro! Precisamos dar um basta a essa situação e exigir uma nova eleição Geral!

De fato, nenhum dos atuais políticos tem moral para conduzir o Brasil e precisamos ter uma nova política econômica capaz de resolver os graves problemas do nosso povo e tirar o Brasil da profunda crise em que se encontra. Barrar a reforma da previdência, retomar os direitos dos trabalhadores e retomar as riquezas do país que foram entregues aos imperialistas, são apenas algumas das medidas necessárias para retomar o desenvolvimento justo do país.

O afastamento de Moro do ministério da justiça é o mínimo que deve ocorrer, propiciando uma investigação profunda que traga a verdade a tona. Confirmando os fatos é evidente que não se pode sustentar um governo eleito em um processo fraudulento.
Não podemos aceitar um governo que entrega o pré-sal, entrega nossas refinarias e submete a política externa brasileira ao imperialismo estadunidense. Não podemos aceitar os cortes na educação, a retirada de direitos, o fim da aposentadoria, tudo isso para agradar e presentear o capital financeiro e os monopólios.

Assim não e demais dizer que o partido de Bolsonaro e Moro é o partido dos Estados Unidos e do capital financeiro internacional. Por isso não vacilamos em dizer: Abaixo o governo de Bolsonaro e dos Banqueiros!

Fora Moro, Guedes e Mourão! Eleições Gerais já!

Pelo poder popular e o socialismo!


Wanderson Pinheiro, Executiva Nacional da Unidade Popular Pelo Socialismo – UP

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes