UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 6 de outubro de 2022

21º e 22º dias: programa de formação para a quarentena


Redação Piauí
Jornal A Verdade

BRASIL – Devido à atual situação em que o mundo se encontra, em meio à pandemia da Covid-19, em que a disseminação de fake news, a falta de informação tem afetado diretamente a todos, com impacto acentuado em pessoas que sofrem com crises de ansiedade e/ou de pânico. O isolamento social, que é necessário agora, acaba por piorar ainda mais esse quadro de desinformação e medo.

Pensando nisso e na necessidade de compreensão de quais fatores levaram a esse contexto social , o jornal A Verdade está fazendo uma programação com indicações de textos e filmes para ajudar na formação política de seus leitores no período da quarentena.

Divulgaremos essa programação a cada dois dias aqui em nosso site. Confira a indicação para as próximas 48 horas.

 

21º DIA:

FILME

ZUZU ANGEL

Brasil, anos 60. Época em que o Brasil passa pela ditadura militar, um dos momentos mais difícil para o país. Em meio a tudo isso, Zuzu Angel (Patrícia Pillar), uma estilista, que foi casada com o norte-americano, Norman Jones, e mãe de três filhos, que fica cada vez mais famosa no Brasil e no exterior. Stuart Angel (Daniel Oliveira), um dos seus três filhos, estudante de Economia, na Universidade Federal do Rio de Janeiro, um jovem revolucionário.

Na virada das décadas 60/70, Stuart entrou no MR-8 e desde então passou a lutar contra as atrocidades cometidas pelos os militares e pelo regime militar. Em 1971 Stuart foi preso, torturado e morto por membros do Centro de informações da Aeronáutica (CISA). A partir de então, Zuzu lutaria contra o regime militar pela recuperação do corpo do seu filho, chegando até a envolver os Estados Unidos, país de seu ex-marido e de seu filho.

1h 44min / Drama

Direção:Sergio Rezende

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LINK NO YOUTUBE:

TRAILER:

 

TEXTO

 

 

 

 

 


Homenagem a Josef Stalin

Para o 20° dia de estudos do programa de formação para a quarentena,  reunimos e apresentaremos três textos sobre a vida e obra de Josef Stalin, importante dirigente e exemplo para diversas gerações de militantes.

A Biografia de Josef Stalin, o fiel discípulo de Lênin, artigo publicado na edição de n° 51 do Jornal A Verdade, de autoria de Luiz Alves, o texto retrata de forma simples e objetiva como se deu à vida desse revolucionário, de origem humilde Stalin nasceu em 1879 na Geórgia, onde vivia com seus pais, dois camponeses pobres. A Rússia daquela época ainda sofria diversos problemas com o avanço do capitalismo. Apenas no seminário que aconteceu na província de Tifilis. Stalin tomou conhecimento sobre a literatura marxista. Começava então a vida revolucionaria de Josef Stalin, que juntamente com Lênin, seu tutor, conduziu o partido comunista, fez parte da criação do jornal PRAVDA, foi detido inúmeras vezes, mas nunca desistiu da luta dos operários.

O papel de Stalin na Segunda Guerra Mundial, um trecho extraído do livro Um Outro Olhar Sobre Stálin, de Ludo Martens. Onde traz a marcante e também decisiva participação de Stalin à frente das tropas soviéticas no período da 2° Guerra Mundial (1939-1945) contra os nazistas. Em um dos trechos do texto é ressaltado o mérito de Stalin por ter compreendido a natureza da guerra que estava acontecendo em território soviético, além de estar coerentemente preparado. Os alemães chegaram à URSS com o objetivo de aniquilar toda a população, mas acima de tudo comunistas e bolcheviques, como deixa claro no trecho a seguir do pronunciamento de Hitler a seus generais: ’’O comunismo representa um perigo horrível para o futuro. (…) Trata-se de uma luta de aniquilamento. Se nós não tomarmos a questão sob este ângulo, nós abateremos com certeza o inimigo, mas, em 30 anos, o inimigo comunista se oporá de novo.’’J. Stalin dominou e organizou estratégias com sua inteligência e intuição tornando possível a derrota dos nazistas em território soviético.

Stálin, palestra de Pablo Miranda, 1° Secretario do PCMLE (Partido Comunista Marxista Leninista do Equador) na República Dominicana em homenagem ao cinquentenário da morte de Josef Stalin, onde Pablo relembra os feitos e conquistas do dirigente bolchevique e destaca as mentiras e calúnias feitas a Stalin.

ARQUIVOS:

Biografia de Josef Stálin – A Verdade

O papel de Stálin na Segunda Guerra Mundial

Stalin – Pablo Miranda formatado

 

22º DIA:

FILME

A RESISTÊNCIA

Na manhã de 22 de Junho de 1941 os nazistas atacam a Fortaleza de Brest, na União Soviética. Em total desvantagem de homens e armamentos, soldados e cidadãos soviéticos batalham pela defesa de seu território. Décadas depois, o veterano Alexander Akimov relembra a época. Então um menino de 15 anos apaixonado pela linda Anya, ele teve que abandonar seus sonhos em prol da luta pelo país.

Centenas de bravos combatentes em condições dramáticas, sem água e alimentos resistem a ocupação nazista. Assim como médicos e até crianças contribuíram para esta resistência que só teve fim quando o exército vermelho cravou a bandeira da URSS em cima do parlamento da Alemanha em Berlin.

Apesar de fazer uma falsa acusação de que a URSS fez uma repressão política após guerra, não tira o brilho do filme, muito bem produzido e emocionante.

2h 12min /Ação, Guerra, Histórico, Drama

Direção:Alexander Kott

 

 

 

 

 

 

 

 

LINK DO FILME YOUTUBE:

TRAILER:
https://www.youtube.com/watch?v=V0CiV7dt2Nk

FILME:
https://www.youtube.com/watch?v=Ekt7mtbCBUw&list=PLLGKBffj5OHNx9rKjmvtliX8eu9Kqr0gO&index=16

 

TEXTO

Mentiras relativas à história da União Soviética

Mário Sousa

É um texto de Mário Sousa, membro do Partido Comunista dos Revolucionários Marxistas-Leninistas da Suécia KPML-r. Extraído da revista North Star e publicado pela Comissão Organizadora para o Conselho Internacional de Amizade e Solidariedade com o Povo Soviético em junho de 1998.

O título é bem ilustrativo sobre seu conteúdo. Ele trata da mentirosa história das milhões de pessoas que, supostamente, foram encarceradas e morreram nos campos de trabalhos forçados da União Soviética, como resultado da fome durante os tempos de Stálin. E quem não ouve as terríveis histórias das possíveis mortes e assassinatos nos campos de trabalhos forçados do “gulag” da União Soviética?  Quem não ouve histórias dos milhões que morreram de fome e dos milhões de oposicionistas executados na União Soviética na época de Stálin?  No mundo capitalista, essas histórias são repetidas inúmeras vezes nos livros, jornais, no rádio e na televisão, e nos filmes, e os números míticos dos milhões de vítimas do socialismo aumentaram, aos saltos, nos últimos 50 anos.

Mas, na realidade, de onde vêm essas histórias e essas cifras?  Quem está por trás de tudo isso? O que há de verdade nessas histórias? E que informações se encontram nos arquivos da União Soviética, anteriormente secretos, mas abertos à pesquisa histórica por Gorbachov em 1989?  Os autores dos mitos sempre disseram que todas as suas histórias dos milhões que morreram na União Soviética de Stálin seriam confirmadas no dia em que os arquivos fossem abertos.  E foi isso que aconteceu?  Elas foram confirmadas de fato?

O seguinte artigo nos mostra de onde se originaram essas histórias de milhões de mortes pela fome e nos campos de trabalhos forçados e quem está por trás delas.

O presente autor, após ter estudado os relatórios da pesquisa feita nos arquivos da União Soviética, pode dar informações, na forma de dados concretos, sobre o número real de prisioneiros, os anos que passaram na prisão e o número verdadeiro daqueles que morreram e daqueles que foram condenados à morte na União Soviética de Stálin.

A verdade é bem diferente do mito.

ARQUIVO:

MENTIRAS RELATIVAS À HISTÓRIA DA UNIÃO SOVIÉTICA

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes