UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 13 de agosto de 2022

Emoção e rebeldia marcam a plenária da pré-candidatura de Eslane Paixão

AGITADORA – Eslane Paixão marca manifestação contra o fascismo com jornal A Verdade nas mãos. (Foto: Jornal A Verdade)
Redação Bahia
Jornal A Verdade

SALVADOR – Reunidos virtualmente no último dia 10, militantes da Unidade Popular pelo Socialismo (UP), lideranças populares, famílias das ocupações Luisa Mahin e Maria Felipa do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), jovens, mulheres e trabalhadores de diversas áreas construíram a plenária da pré-candidatura de Eslane Paixão à Prefeitura de Salvador. A coordenação da atividade ficou por conta de Milena Rocha, do Movimento de Mulheres Olga Benário, moradora do bairro da Mata Escura, periferia de Salvador.

Abrindo a plenária, Victor Aicau da Coordenação Nacional do MLB e morador da favela do Uruguai, em sua intervenção emocionou a todos com um poema de própria autoria, denunciando o massacre da juventude pobre e negra. Depois foi a vez de Leonardo Péricles, Presidente Nacional da UP, que falou da importância das últimas manifestações contra o fascismo e o racismo, que esses serão derrotados nas ruas e que a pré-candidatura de Eslane representa a luta do povo que desce das favelas nesse momento. Maura Cristina, liderança do Movimento Sem Teto da Bahia, MSTB, moradora de uma ocupação no centro histórico da cidade afirmou que a pré-candidata é uma “menina-mulher da pele preta” que representa a luta das mulheres negras de Salvador, uma cidade de 84% de pessoas negras e em sua maioria mulheres. Em seguida, Luzia Mota, Reitora do Instituto Federal da Bahia, iniciou falando do orgulho que sentia pela pré-candidata e de como aqueles, que constroem coletivamente uma alternativa política no Brasil precisam propagar e defender uma nova sociedade para esse sistema em crise.

PLENÁRIA – Eslane Paixão fazendo sua intervenção na plenária virtual. (Foto: Jornal A Verdade)

Eslane Paixão fez uma fala forte, resgatando os nomes dos jovens de Salvador mortos pela PM nos últimos meses, expôs os eixos iniciais da campanha como: direito à moradia para o povo pobre, universalização das creches, redução dos salários da prefeita e dos vereadores, equiparando-os com o das professoras do município e outros. Por último, a pré-candidata afirmou estar em um projeto coletivo, seu nome foi escolhido para representá-lo, mesmo assim o engajamento de toda a militância será necessário para, nos próximos dias, desenvolver o programa de governo e propagar pela cidade a existência de uma pré-candidatura do povo pobre e negro das favelas de Salvador.

Depois da fala de Eslane abriram-se as inscrições para intervenções dos presentes. Todos se posicionaram na defesa de construir uma alternativa política do povo pobre de Salvador, colocar na rua um programa revolucionário e ganhar o povo para derrotar o fascista Bolsonaro e, em Salvador, derrotar o Carlismo.

Uma plenária muito importante. Agora, a militância que constrói a pré-candidatura de Eslane Paixão em Salvador entra em uma nova fase, a de envolver pessoas na construção do programa popular pra Salvador, respondendo as necessidades populares nos diferentes aspectos da construção da cidade.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes