TwitterFacebook

Carvalho denuncia exploração dos patrões em Teresina

CANDIDATURA DO POVO – Francisco Carvalho representa a Unidade Popular em Teresina. (Foto: Reprodução/Jornal A Verdade)

Redação Piauí
Jornal A Verdade

TERESINA (PI) – Francisco Carvalho é pré-candidato à Câmara de Vereadores de Teresina. Carvalho tem 40 anos, é trabalhador do sistema de transporte coletivo e militante do Movimento Luta de Classes. Filho de pais maranhenses, aos dois anos, com a separação dos pais foi morar com seus avós em Valença do Piauí. Como muitas crianças e jovens pobres, desde cedo teve que trabalhar para ajudar sua família, vendendo picolé. Aos 13 anos, voltou para Teresina com sua mãe e irmãos em busca de mais oportunidades de emprego para melhorar as condições de vida da família.

Em 1998, ingressou no Exército Brasileiro e, em 2000, foi promovido a cabo, permanecendo até 2003. Trabalhou como comerciante em Timon (MA), ajudante de pedreiro, em uma loja de ração no mercado velho, como corretor, taxista, mototáxi e até num garimpo na Venezuela, onde, depois de seis meses de trabalho intenso, ficou doente e passou 30 dias em coma. Fixou residência no bairro Dirceu e, em 2010, começou a trabalhar no sistema de transporte coletivo de Teresina como cobrador.

Iniciou sua militância em 2012 quando o Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas organizou 150 famílias sem teto na Ocupação Olga Benario, na Taboca do Pau Ferrado. No Piauí, segundo uma pesquisa realizada pela UFPI, o déficit habitacional é de cerca de 130 mil moradias; só em Teresina, são mais de 32 mil. Para avançar nas lutas da categoria, em 2013, concorreu à Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) na empresa em que trabalha, onde foi eleito por três vezes.

Foi diretor do Sindicato dos Rodoviários do Estado do Piauí, onde não aceitou a política de conciliação da atual gestão com os patrões em detrimento dos direitos e as pautas da categoria. Então resolveu se afastar da gestão do sindicato e formar uma chapa de oposição para, de fato, travar as lutas tão necessárias à categoria e colocar o sindicato ao lado dos trabalhadores. Apesar de não ter vencido as eleições, as mobilizações dos trabalhadores da chapa de oposição na categoria continuam fortes e organizando as lutas.

O transporte coletivo é parte essencial da organização e funcionamento dos centros urbanos por permitir o deslocamento em conjunto de um grande número de pessoas para diversas partes da cidade e contribuir na redução do número de carros circulantes. Porém, os trabalhadores enfrentam condições inadequadas de trabalho, altas jornadas, constantes assaltos e um dia a dia estressante com grandes congestionamentos, acidentes e má conservação das vias de tráfego, mortes por acidentes, problemas auditivos, dores musculares, coluna, ombro e pescoço, falta de instalações adequadas para descansar no intervalo e fazer refeições, estresse e taquicardia, etc.

Esta realidade de superexploração e grande precarização dos trabalhadores não está presente apenas nos rodoviários e, para que as e os trabalhadores tenham voz na Câmara de Vereadores de Teresina, a Unidade Popular lançou esta pré-candidatura.

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações