TwitterFacebook

Assim foi temperado o aço

Capa do libro: Assim foi temperado o aço

Por Felipe de Oliveira, militante da UJR de Pernambuco.

Cultura – O romance de Nicolai Ostrovski, Assim Foi Temperado o Aço, ajudou a formar várias gerações de militantes comunistas ao redor do mundo. Considerado um clássico do realismo socialista, gênero este desenvolvido na União Soviética que unia a luta política por uma nova sociedade às artes populares, o romance conta a história de Pavel, um jovem ucraniano que ingressa nas fileiras da revolução aos 16 anos, no ano de 1918, no auge da luta de classes e da guerra civil na Rússia, quando o velho mundo agonizante aplicava seus últimos golpes de desespero contra a classe trabalhadora que se emancipara e tomara o poder.

Dividindo o livro em três partes, na primeira o autor ambienta o leitor à como era a miserável vida da classe trabalhadora nos lugarejos mais longínquos do império russo czarista, como era a vida da juventude e quão limitadas eram suas perspectivas numa sociedade atrasada e dividida em classes. Tudo isso começa a mudar a partir da revolução de outubro e com a chegada do partido nas cidades e vilas mais distantes. Foi justamente com a chegada do marinheiro comunista Fiodor para iniciar o trabalho do partido na cidade que a vida de Pavel muda completamente, o jovem rapidamente ingressa nas brigadas do exército vermelho na guerra civil e ajuda o povo soviético a liquidar a resistência burguesa. É a partir daí que o aço começa a ser temperado.

A segunda parte decisiva do livro e da vida de Pavel é a construção da estrada de ferro, em pleno inverno, para transportar os materiais necessários para aquecer a cidade que padeceria no rigoroso inverno russo. A luta para a construção a tempo dessa estrada foi uma escola de comunismo para a juventude revolucionária da cidade e em especial para Pavel. Enfrentando o frio, a falta de estrutura e equipamentos necessários, a escassez de alimentos, o pouco tempo para descanso, a tuberculose que assolava os homens, os bandos remanescentes de bandidos financiados pela burguesia, a deserção de muitos, tudo isso para que não faltasse aquecedores nos hospitais da cidade, tudo isso pelo bem do coletivo, o povo salvando o próprio povo, organizados pelo partido comunista, com a juventude na linha de frente.

A partir daí, na terceira parte do livro, vemos o notável amadurecimento de Pavel, sua consolidação como um quadro da juventude comunista e seu papel mais decisivo nas lutas políticas diárias no interior da organização, sempre mostrando com o exemplo como deve se portar um jovem bolchevique. Fica claramente notável como os anos vividos no fogo da luta contra o terrorismo burguês e no trabalho de construção do socialismo forjaram a firmeza moral de Pavel, inquebrantável como o aço. O livro ainda mostra a luta política na organização contra o bloco trotskista e a reação do povo soviético à morte de Lênin, a comoção entre os trabalhadores e o chamamento do partido para o recrutamento de novos militantes que causou a entrada de centenas de milhares de novos bolcheviques em suas fileiras, provando que uma árvore de raízes fortes, bem fincadas na terra, não morre se lhe cortam a copa.

Por tudo isso passou Pavel e a classe trabalhadora soviética nos primeiros anos da maior experiência do socialismo no mundo, e fica claro como a sociedade nova molda o homem novo, o faz ultrapassar barreiras intransponíveis com a força de sua vontade, apoiado na ideologia proletária, inexorável como o aço.

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações