TwitterFacebook

Prefeitura gasta milhões com propaganda enquanto povo passa fome em São Bernardo

FOME – Trabalhadores fazem filas quilométricas por um prato de comida, enquanto isso Prefeitura gasta o dinheiro público com propaganda (Fonte: Reprodução)

Lucas Barbosa

SÃO PAULO – A Administração do Prefeito Orlando Morando (PSDB) na cidade de São Bernardo do Campo vai gastar R$ 137,5 milhões no novo contrato de propaganda oficial do município. Esse é o valor ao qual pode chegar o contrato de 5 anos com a empresa que vencer a licitação milionária, marcada para ser fechada no dia 8 de abril de 2021. O intuito é claro, promover a imagem pessoal e da gestão do atual Prefeito.

Desde de o início da sua primeira gestão à frente da Prefeitura, Orlando age de maneira marqueteira e personalista, além de fechar contratos milionários com grandes agências de marketing que possuem relações próximas a ele.

Projeto milionário com empresas fornecedoras na campanha eleitoral

No ano passado (2020) antes e durante o período eleitoral a cidade foi bombardeada com propagandas em panfletos, jornais, outdoors e imagens do atual prefeito, ferindo gravemente o princípio da impessoalidade da gestão pública.

Além dessa propaganda pessoal com dinheiro público, e das denúncias de peculato contra o Prefeito (apropriação de bem público em proveito pessoal por um servidor), outro fato chamou atenção no último ano: o fechamento de um projeto milionário com empresas fornecedoras na campanha eleitoral de Orlando.

 A empresa fornecedora W. R. Doi Marketing e Publicidade Ltda, responsável pela propaganda política eleitoral, arte e material impresso, de Orlando recebeu por esses serviços cerca de R$ 260 mil. Essa empresa pertence ao Sr. Wellington Rodrigo Doi, que também possui participação na RP Propaganda Ltda, outra empresa de marketing.

A RP Propaganda, por sua vez, pertence ao empresário Eduardo Rodrigues de Lima, também conhecido como Duda, que é velho parceiro e fornecedor de Orlando Morando e que também é dono da Max Offices Propaganda e Marketing, a empresa que desde 2015 é a responsável pela publicidade de São Bernardo. Ou seja, as negociações e projetos milionários de publicidade do município se dão entre amigos e fornecedores de campanha do Prefeito.

A Prefeitura realizou pagamentos milionários à Max Offices Propaganda e à outra companhia de marketing, a Octopus, desde fevereiro de 2020. Segundo o Painel de despesas públicas do TCE (Tribunal de Contas do Estado), foram gastos no último ano R$ 9,2 milhões, uma média de R$ 1,15 milhão ao mês em publicidade. A maior parte desse dinheiro foi destinado à Max Offices, 6,88 milhões ao todo.

Essas relações, entre o Prefeito e seus fornecedores de campanha em licitações do município colocam sob suspeita os contratos firmados pela Secretaria de Comunicação do Município, que parece fechar acordos e campanhas com objetivo de firmar a imagem de Orlando Morando, garantir seus desempenhos eleitorais e agradar aos seus parceiros milionários do ramo da publicidade. De fato para vencer as eleições em 2020 e ser reeleito, Orlando precisou da “parceria” de muitos milionários, uma vez que gastou R$4,9 milhões em propaganda segundo dados da Justiça Eleitoral, sendo o candidato com maior gasto de campanha.

Apesar desses contratos milionários a Prefeitura de São Bernardo passou o último mandato inteiro alegando falta de dinheiro para diversas áreas sociais, como saúde, moradia, saneamento básico, investimentos na cultura e obras públicas, que certamente melhorariam a condição de vida dos trabalhadores da cidade.

Seguindo seu discurso sobre a falta de recursos, a Prefeitura tem atacado também os servidores públicos da cidade, como no projeto de lei que aumentou a alíquota do repasse dos servidores públicos para a Previdência Municipal de 11% para 14%.

Orlando Morando vira as costas para o povo pobre

A cidade de São Bernardo do Campo tem cerca de 844 mil habitantes e é a maior cidade da região metropolitana do Grande ABC Paulista, além de ser um dos maiores polos industriais do país; porém, tem visto cada dia mais empresas, como exemplo da Ford, fecharem as portas e abandonarem os trabalhadores que deram suas vidas para a empresa.

Contudo, nada tem sido feito para mudar essa realidade e o que vemos é que o dinheiro publico tem sido usado de maneira irresponsável. Um desses casos foi quando a prefeitura deixou estragar em seus galpões mais de 950 cestas básicas, que certamente ajudariam muito as famílias pobres que precisam desses alimentos para sobreviver à fome crescente.

Não é de hoje que vêm à público escândalos envolvendo a prefeitura de São Bernardo do Campo: contratos fraudulentos, fraude em licitação, desvios de recursos públicos para escolas e hospitais, roubo na merenda (Caso bastante repercutido conhecido como “Operação prato feito” em maio de 2018) e corrupção passiva, são apenas alguns dos crimes cometidos pela prefeitura do município. Principalmente envolvendo o prefeito, na maior parte dos escândalos sendo o próprio investigado, como no roubo da merenda escolar. Além dos diversos pedidos de afastamento do prefeito Morando que foram encaminhados ao Ministério Público, pela Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) em função dos casos de corrupção em torno do Rodoanel.

Fica cada vez mais evidente para a população de São Bernardo do Campo que a prioridade do prefeito e da maioria dos vereadores da cidade é em manter seus cargos e suas imagens de gestores comprometidos com a cidade, apesar do aumento da miséria e as mortes pela pandemia do covid-19 contradizerem o que fala o prefeito Orlando Morando em suas lives na internet e notas públicas, quase sempre bastante divulgados pelas redes sociais e diversos outros meios de comunicação.

Ademais, enquanto a administração da prefeitura pinta muros, praças, prédios públicos, ônibus, terminais, ciclofaixas com as cores azul e amarelo, fazendo alusão ao seu partido PSDB, o povo está cada dia mais pobre, desempregado e nem pode contar com auxílio emergencial, cortado desde o início do ano pelo governo federal. Na realidade o povo está passando fome e vivendo nas piores condições em uma das cidades mais rica do país, enquanto isso, a prefeitura de São Bernardo gasta milhões de reais com propaganda, marketing e publicidade de todo tipo. É certo que esse é apenas mais um retrato e recorte das diversas contradições da cidade grande no sistema capitalista, que nada se importa com a vida das pessoas, mas sim com o lucro dos patrões e empresários podres de ricos, usufruindo do dinheiro publico de todo o povo trabalhador.

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações

%d blogueiros gostam disto: