TwitterFacebook

Negligência e abandono no bairro Coelhas II, em Viçosa

VIÇOSA – Desde 2014, o bairro Coelhas II, localizado na cidade de Viçosa, interior de Minas Gerais, sofre com o descaso e negligência do Poder Público Municipal. Segundo relatos dos moradores, já foram feitas inúmeras denúncias e pedidos na Prefeitura de Viçosa, sobretudo, em relação ao número reduzido de linhas de ônibus e a ausência de asfaltamento na estrada que dá acesso ao bairro. Muitas promessas foram feitas, mas, no entanto, nenhuma medida foi concretizada. A administração do município até chegou a destinar verba para realização de obras de melhoria no bairro que, até o momento, não foram realizadas.

Nos dias de chuva e nos dias seguintes a chuvas intensas, devido à falta de asfaltamento da estrada que dá acesso ao bairro, o serviço de transporte público é interrompido. Sem transporte coletivo, os moradores que necessitam do serviço para trabalhar, estudar ou realizar qualquer atividade no centro da cidade são privados do exercício de suas funções. Muitos moradores acabam tendo que enfrentar inúmeras dificuldades para se deslocar do bairro, fazendo caminhadas de 40 a 60 minutos debaixo de chuva, em uma estrada sem pavimentação e em condições precárias, o que aumenta o risco de acidente e a exposição à doenças.

Sabemos que o direito ao transporte público, definido pelo artigo 6º da Constituição Federal, deve ser assegurado pelo Estado e está associado à forma como as pessoas acessam à cidade e seus equipamentos públicos, o chamado “Direito à Cidade”. Assim, a ausência ou ineficiência do serviço de transporte público é também uma violação do Direito à Cidade.

Não bastasse tudo isso, os moradores também sofrem com as linhas reduzidas e os horários limitados em que o transporte público atende ao bairro. Durante a semana, são oferecidos apenas dois horários com saída do bairro para o centro, às 6h30 e 7h30, e outros dois horários de retorno do centro para o bairro, às 17h30 e 18h30. O serviço oferecido pela empresa de transporte coletivo é insuficiente para o atendimento das necessidades dos moradores. Caso um morador precise retornar para sua casa antes ou depois dos horários disponibilizados, terá que esperar, retornar a pé ou pagar pelo transporte de aplicativo. Nos finais de semana, o serviço de transporte não é oferecido no bairro em nenhum horário.

Além da precariedade do serviço prestado, o preço elevado da passagem, somado ao aumento do custo de vida em Viçosa, onde a inflação dos produtos de alimentação básica já chega a 25,64%, obriga os moradores, muitas vezes, a escolher entre suprir as necessidades de suas famílias ou utilizar o transporte coletivo.

Diante dessa situação, a comunidade da Coelhas II vêm se organizando para exigir do Poder Público Municipal infraestrutura e serviços públicos básicos para o bairro, como pavimentação, transporte público eficiente e capaz de atender as necessidades dos trabalhadores e das trabalhadoras, o aumento do número de linhas, incluindo os finais de semana, além de espaços de lazer e cultura para a comunidade. Entendemos que morar com dignidade é um direito humano fundamental e deve ser garantido pelo Estado. Por isso, a Unidade Popular pelo Socialismo tem acompanhado e fortalecido a luta dos moradores do bairro Coelhas II em Viçosa.

Gabriel Sunsi e Augusto César

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações