TwitterFacebook

Casa Tina Martins, cinco anos de luta e resistência

OCUPAÇÃO – Casa Tina Martins segue em defesa da vida das mulheres. (Foto: Reprodução/Jornal A Verdade)

“Em cinco anos, mais de 800 mulheres foram atendidas diretamente, o que se traduz na formação de uma rede de apoio para mais de 3.200 pessoas, entre crianças e demais familiares.”
Redação Minas Gerais
Jornal A Verdade

BELO HORIZONTE (MG) – A Casa de Referência da Mulher Tina Martins, em Belo Horizonte, criada e gerida pelo Movimento de Mulheres Olga Benario, completa cinco anos de luta e resistência. A Casa foi a primeira ocupação feminista da América Latina, uma experiência inicial de um modelo para auxiliar mulheres em situação de violência doméstica e social.

Foi fundada no dia 8 de março de 2016, numa ação do Olga Benario com o Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), em protesto pelo feminicídio de uma mulher moradora de uma ocupação urbana de Belo Horizonte e pela completa falta de políticas públicas para as mulheres.

A ocupação nasceu no antigo bandejão da Escola de Engenharia da UFMG, onde resistiu por 87 dias, antes de ser transferida para sua atual sede, também um imóvel ocupado. Nascida de um ato simbólico contra a violência e o desamparo sofridos pelas mulheres, a Casa Tina Martins se transformou, desde seu primeiro dia, numa referência para as vítimas de violência doméstica.

Em cinco anos, mais de 800 mulheres foram atendidas diretamente, o que se traduz na formação de uma rede de apoio para mais de 3.200 pessoas, entre crianças e demais familiares. A resistência da Casa Tina Martins é um exemplo vivo da importância do acolhimento e cuidado com as vítimas de violência doméstica e sexual, criando laços de afeto, luta e emancipação para que essas mulheres consigam efetivamente se reerguer e reconquistar seu direito a uma vida digna. Num país em que uma mulher é morta a cada nove horas e as medidas de mitigação e prevenção ao feminicídio tomadas pelo Estado são precárias e insuficientes, a luta da Casa é um exemplo de resistência e militância feminista dignos das lutas históricas das mulheres pela sua libertação e derrubada de uma sociedade opressora.

São cinco anos para comemorar a existência da Casa Tina Martins, que resiste e inspira a organização popular das mulheres e que avança a cada dia. Depois dela, o Movimento de Mulheres Olga Benario construiu mais três outras ocupações: Mulheres Mirabal, em Porto Alegre, Helenira Preta, em Mauá, e Laudelina de Campos, em São Paulo.

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações

%d blogueiros gostam disto: